segunda-feira, 16 de março de 2020

Facção matou adolescente por ela ter namorado integrante de grupo rival, diz polícia, confira aqui! |Últimas Notícias do Brasil!


Facção matou adolescente por ela ter namorado integrante de grupo rival, diz polícia, confira aqui! |Últimas Notícias do Brasil!




Do G1 - A adolescente Laura Rosa Macedo Marinho, de 17 anos, foi assassinada porque o atual namorado era integrante de uma facção rival a do ex, informou a Polícia Militar. O corpo dela foi encontrado nesta sexta-feira (23), em Boa Vista. A vítima foi decapitada e estava enterrada em uma cova rasa.

Em coletiva à imprensa, a PM, que encontrou o corpo, informou que Laura Rosa namorava Alef William de Oliveira Barroso, de 23 anos, integrante da facção que a assassinou. Ele está preso.





Conforme a PM, quatro homens e oito mulheres estão envolvidos no sequestro, assassinato e ocultação do cadáver. Desses, dois morreram em troca de tiros com policiais, seis - incluindo Alef -, estão presos, um adolescente foi apreendido. As outras três ainda são procuradas.

Laura Rosa foi sequestrada no domingo (18). Segundo a PM, ela, a irmã, de 21 anos, e o namorado Alef estavam uma festa quando ele recebeu uma ligação. O suspeito recebeu a ordem de um líder da facção para que a garota fosse submetida ao tribunal do crime.





A vítima foi levada a uma casa no bairro Caranã, na zona Oeste de Boa Vista. Lá, estavam outros integrantes do grupo. A Polícia Civil suspeita que Laura Rosa foi torturada antes de ser assassinada.

"O Alef pegou as duas irmãs em casa e as levou para a festa. Depois, ele as levou para a casa onde a adolescente foi morta", declarou o chefe do Comando de Policiamento da Capital (CPC), coronel Damasceno.



Depois de matar a garota, o grupo enterrou o corpo em uma cova no loteamento João de Barro. A PM fez buscas pelo corpo durante cinco dias na região, até encontrá-lo nesta manhã, após uma ligação anônima feita à família da vítima.

"Fizemos o levantamento com base nas informações que já tínhamos e nas que surgiam. Não podíamos obrigá-los, mesmo sendo infratores, a informar o local. Imagino que nem mesmo eles sabiam, porque se durante o dia é complexo chegar ao local, de noite quase é impossível", declarou o comandante geral da PM, coronel Elias Santana, sobre o lugar onde a vítima foi achada.



Os pais da menina reconheceram Laura Rosa pela roupas que ela usava, as mesmas que estava quando saiu de casa no domingo. Ainda conforme a PM, a família da vítima têm recebido constantes ameaças por telefone.

A irmã de Laura, que conseguiu fugir dos suspeitos e chamar a polícia, está sob uma medida protetiva de segurança. Os pais receberam recomendações de cautela da PM.



Nenhum comentário: