quinta-feira, 27 de agosto de 2020

A mãe que luta para evitar destruição de esperma congelado de filha transgênero morta, confira aqui! | UltimasNoticiasDoBrasil..com



A mãe que luta para evitar destruição de esperma congelado de filha transgênero morta, confira aqui! | UltimasNoticiasDoBrasil..com
Louise Anderson quer impedir que clínica de fertilidade destrua o esperma congelado de sua filha transgênero - BBC

Louise Anderson quer usar o esperma congelado de sua filha, Ellie, para gerar um neto.


Ellie, que morava em Stirling, na Escócia, morreu repentinamente em julho, aos 16 anos.

Ela era transgênero e se identificava como mulher. Ellie teve seu esperma congelado quando tinha 14 anos para que pudesse eventualmente ter seus próprios filhos biológicos.

Com o Terra Construtor de Sites, você faz mais negócios
A gente ajuda você a ter seu espaço na internet: e você mesmo pode montar usando nossos templates. Aproveite!
Sua mãe quer materializar sua vontade postumamente, usando para isso o esperma de Ellie, uma doadora de óvulos e uma mãe substituta.



Advogados planejam levar o caso à Justiça.

Em entrevista à BBC, Anderson disse que Ellie sabia que ela era transgênero desde cedo.

"Quando adolescente, ela adiou o uso de bloqueadores hormonais para preservar seu esperma e permitir que tivesse seus próprios filhos biológicos. Ela me fez prometer que, se algo acontecesse com ela, seus filhos seriam trazidos ao mundo."

"Vou fazer tudo o que puder para honrar seus desejos - não apenas por ela, mas por qualquer outra pessoa que esteja nesta posição. Quero fazer com que seus desejos se materializem", acrescentou.

O esperma de Ellie foi congelado na Glasgow Royal Infirmary Fertility Clinic, que informou que a amostra não pode ser armazenada.

De acordo com as regras atuais de fertilização humana do Reino Unido, se Ellie estivesse em um relacionamento quando morreu, seu parceiro teria o direito de pedir que seu esperma fosse armazenado. A mãe dela não tem esse direito.

Ordem judicial
Os advogados podem solicitar uma ordem judicial impedindo que o esperma seja destruído.

O advogado de Louise, Virgil Crawford, disse se tratar de uma "questão jurídica incomum, interessante, importante e complexa".

"O que estamos tentando obter é uma ordem do tribunal para que a mãe de Ellie tenha o direito de usar seu esperma para o propósito pretendido por Ellie - criar um filho genético dela e um neto para a sra. Anderson. "

Caso contrário, eles esperariam que o tribunal dissesse que a lei existente precisa ser alterada.

David Obree, pesquisador de ética médica na Universidade de Edimburgo, disse à BBC que acredita que o status de transgênero de Ellie é "irrelevante".

"A questão principal é para que ela pretendia que o esperma fosse usado? A questão que o tribunal precisa examinar é se ela consentiu ou solicitou especificamente que seu esperma fosse usado por terceiros?", afirmou.

] Ellie, que começou a tomar hormônios femininos, morreu de "causas incertas".

Uma porta-voz do NHS Greater Glasgow e Clyde, que administra a clínica de fertilidade, disse: "Lamentamos saber da morte dessa jovem e enviamos nossas condolências à família".

"O Glasgow Royal Infirmary Assisted Conception Services é licenciado e regulamentado pela Autoridade de Fertilização e Embriologia Humana. O armazenamento de gametas (esperma) é gerenciado de acordo com a Lei de Fertilização e Embriologia Humana (1990) e está em conformidade com os consentimentos fornecidos pelos doadores", disse.

fonte: uol

Nenhum comentário: