domingo, 30 de agosto de 2020

Ambientalista é morto por leoas que cuidava desde filhotes, confira aqui! | UltimasNoticiasDoBrasil..com



Ambientalista é morto por leoas que cuidava desde filhotes, confira aqui! | UltimasNoticiasDoBrasil..com

West Mathewson foi atacado pelos felinos durante um passeio; sua esposa presenciou a tragédia.

Um famoso ambientalista sul-africano foi morto por mordidas de duas leoas albinas que cuidou desde filhotes, na quinta-feira (26Agosto2020). West Mathewson, de 69 anos, foi atacado por umas das felinas que criara, sem qualquer aviso, durante um passeio em seu safári-hotel ‘Lion Tree Top Lodge’, de propriedade da família Mathewson, em Hoedspruit, na província de Limpopo na África do Sul.


Mathewson estava brincando de luta e corrida com os felinos quando foi morto. Sua esposa assistiu a tragédia imponente, dentro de um veículo a poucos metros de distância, ela ainda tentou distrair as leoas, mas não conseguiu salvar o marido.

Sem aviso
Em 26 de agosto, Mathewson, que é chamado de ‘Tio West‘, estava passeando com as leoas brancas Demi e Tanner, de 180 Kg cada, quando elas começaram a lutar e, sem qualquer aviso, uma das leoas levou a diversão a sério e mudou sua atenção para Mathewson e o atacou, mordendo-o. A outra leoa aderiu ao ataque em seguida, matando-o. Sua esposa estava dirigido atrás deles e também tentou resgatar o marido, mas em vão.

O ambientalista chegou a ser socorrido e levado para um hospital com ferimentos múltiplos, contudo, não conseguiu resistir e foi declarado morto.


Em entrevista à mídia, a nora da vítima confessou que não está totalmente claro por que as leoas atacaram seu tutor. Ela acrescentou que provavelmente não queriam matá-lo e que sua morte pode ter sido o resultado de uma “brincadeira brutal“.

Ambas as leoas foram transferidas para um recinto temporário e mantidas em um centro de espécies ameaçadas de extinção. Seu futuro será decidido pelas autoridades florestais. A família de Mathewson disse que as leoas serão soltas no melhor ambiente disponível para elas.

Ataque em 2017
As leoas escaparam do Lion Tree Top Lodge em 2017 e mataram um homem que trabalhava recolhendo lenha na propriedade vizinha ao safári-hotel, nas proximidades da reserva nacional de Kruger (África do Sul). A vítima atacada era Qebekhulu Justice e um segundo homem, diabético e ainda sobreviveu por 7 dias. As leoas teriam escalado uma árvore e escapado para Ngama Lodge, acabando atacando um funcionário da pousada, matando-o.

Reagindo ao episódio, Mathewson pontuou que suas leoas eram amigáveis ​​e não agressivas e preferiu não sacrificá-las por acreditar que jamais atacariam ele ou outra pessoa. Ele disse que costumava passear com as leoas de três a quatro horas todos os dias.

Depois de resgatar os filhotes, o site do Lion Tree Top Lodge publicou: “Nossas instalações acomodarão esses animais para o resto de suas vidas. Quando os leões atingirem uma certa idade, os visitantes poderão ver os leões em seu recinto em um veículo de passeio“. Mas após o ataque a Ngama Lodge, as leoas foram levadas de volta para seu recinto e foram mantidas lá.


Os filhotes foram resgatados por Mathewson da caça enlatada anos atrás. A caça enlatada é a matança de animais selvagens criados em cativeiro presos em pequenos recintos. É também chamada de caça-troféu de leões na África do Sul. Os filhotes resgatados por Mathewson estavam sendo mantidos em um recinto dentro da pousada de sua propriedade.

Mathewson deixou esposa, quatro filhos e seis netos. “A família está com o coração partido pela perda de seu marido, pai e avô. Eles encontram conforto e paz com o fato de ele ter morrido enquanto vivia seu sonho, estando na natureza e com seus leões”, disse a procuradora de família Marina Botha em nota divulgada.

Investigação policial
Um arquivo de inquérito foi aberto. O comissário da polícia provincial, Tenente-General Nneke Ledwaba, exortou o público a tomar cuidado com esses animais perigosos para evitar que incidentes semelhantes voltem a acontecer.


Homenagens a Mathewson têm caído nas redes sociais. Escrevendo no Facebook, Ester Du Toit disse: “Nossas condolências à família – muito trágicas. West era uma alma maravilhosa e ele amava aqueles leões. Espero que eles sejam poupados“.

Grp Criss escreveu: “West foi uma grande pessoa, resgatando os leões da caça enlatada quando eles tinham cinco anos de idade“. Ele era um conservacionista e contra a caça e a reprodução, acrescentou Criss.





Nenhum comentário: