sábado, 29 de agosto de 2020

‘Uma atitude desumana’, diz grávida que sofreu aborto após motorista de aplicativo mandar ela descer do carro, confira aqui! | UltimasNoticiasDoBrasil..com

‘Uma atitude desumana’, diz grávida que sofreu aborto após motorista de aplicativo mandar ela descer do carro, confira aqui! | UltimasNoticiasDoBrasil..com

Reprodução/ Brasil Acontece


Um caso ocorrido em São Paulo, na segunda-feira(24), mudou a vida da família de Daiany Franco, de 31 anos. Segundo informações da Record TV, um motorista de aplicativo recusou socorro e mandou a gestante e sua mãe descerem do carro no meio do trajeto para o hospital assim que soube que ela estava tendo um sangramento.

Daiany estava grávida de treze semanas e, ao perceber que estava perdendo sangue, optou em solicitar um motorista por um aplicativo para ir ao hospital. A gestante estava acompanhada de sua mãe quando o motorista, friamente, a expulsou do veículo por medo de manchar o banco com sangue.

Segundo a vítima, ele teria dito por várias vezes que se o banco do carro fosse manchado de sangue, elas teriam que pagar. No meio do caminho, o motorista desistiu de fazer a corrida e deixou a gestante e sua mãe em um posto de gasolina para que, assim, solicitassem o resgate ou outro motorista.
É possível visualizar nas imagens das câmeras de segurança quando a mãe, desesperada, e a filha, visivelmente com dores, são deixadas no posto. Na sequência, uma viatura da Polícia Militar se ofereceu para ajudá-las, porém, a caminho do hospital, a viatura colidiu com um caminhão, o que atrasou ainda mais a chegada ao hospital, uma vez que outra viatura teve de ser acionada para prestar ajuda. Após a perda do bebê, Daiany teve a necessidade de ser operada.
No dia seguinte, a vítima prestou queixa do motorista na delegacia de polícia por constrangimento ilegal e omissão de socorro. Em entrevista à coluna Extra, Daiany descreveu o caso como “uma atitude desumana”, pois além de perder o bebê, ela acredita que poderia ter perdido a própria vida.

A gestante acredita que, se o motorista não tivesse sido negligente e abandonado a corrida, ela não teria sofrido o aborto, pois teria chegado ao hospital em tempo para salvar a vida do bebê. A plataforma em que o homem trabalhava informou que estão prestando apoio a vítima e não contam mais com os serviços deste homem.

Nenhum comentário: