quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Mãe de grávida assassinada pelo marido viu filha morta na calçada: 'Crueldade', confira aqui! | UltimasNoticiasBrasil..com


Mãe de grávida assassinada pelo marido viu filha morta na calçada: 'Crueldade', confira aqui! | UltimasNoticiasBrasil..com

A mãe da dona de casa Hellen Karine Carvalho de 29 anos, que estava grávida de três meses e foi morta a facadas pelo companheiro, relatou em entrevista à TV TEM que encontrou a filha caída na calçada da casa onde a vítima morava.

O assassinato foi registrado na madrugada de sexta-feira (16/10), no bairro Alto da Vista, em Zacarias (SP). Marcelo Rodrigues, apontado pela Polícia Civil como o autor do homicídio, fugiu depois de desferir os golpes, mas foi preso preventivamente na manhã de segunda-feira (19/10).

Segundo Cleonice de Carvalho, a filha já estava morta quando a família chegou à casa onde o homicídio foi cometido.

“Sentimento é grande por perder minha filha, que estava grávida de três meses. Ele fez uma crueldade. Não está sendo fácil. Como que fica meu coração agora?”, afirma a mãe da vítima.

De acordo com Éber Leandro Bazzan, soldado da Polícia Militar de Zacarias, Marcelo foi encontrado no quintal de uma casa abandonada e confessou o assassinato.

“Ele falou que estava em casa com irmão, quando a amasia chegou. A mulher ficou bastante nervosa, pegou uma faca e falou que iria furar a barriga para tirar o filho. Ele tomou a faca dela, mas ela foi à cozinha, onde disse que iria matá-lo e depois veria o que faria com o filho. Ela partiu para cima, segundo a versão dele, e ele desferiu as facadas”, diz Éber.

Cleonice Carvalho, no entanto, contesta a versão apresentada por Marcelo. Na manhã de segunda-feira, ela se reuniu com familiares e amigos para protestar na frente da delegacia de Zacarias.

“A versão que ele contou é mentira. Eu quero Justiça. Isso não pode ficar assim. Minha filha não foi a primeira. Ele já tinha feito isso com a ex-mulher também. Tem que ter Justiça”, conta a mãe de Hellen.

Além de confessar ter matado a companheira, Marcelo apontou o local onde dispensou a faca utilizada durante o crime. Contudo, policiais militares não conseguiram localizá-la.

Histórico de agressões

De acordo com uma parente da vítima, que preferiu não ter a identidade revelada, Marcelo era agressivo, usuários de drogas e já tinha tentado enforcar a mulher duas vezes.

Contudo, estava tomando remédios controlados para tentar largar o vício das drogas. Hellen tinha dois filhos de um outro relacionamento, uma menina de 6 e um menino de 11 anos, que presenciaram a mãe ser agredida.

“A relação deles era péssima. A gente fica triste. Os filhos estão sofrendo muito. Me pergunto como ficarão com a situação. Ela era uma pessoa alegre, extrovertida e muito alegre”, conta a parente.

Ainda segundo a familiar, os dois estavam juntos havia cinco meses e já tinham terminado a relação, mas Hellen descobriu que estava grávida e resolveu tentar novamente, acreditando que Marcelo mudaria.

“Ele começou a ter alucinações, achando que o filho que a Hellen esperava não era dele. Depois começou a falar em bares que já tinha desferido cinco golpes em uma ex-mulher, que também estava grávida de 6 meses. A criança e a mulher sobreviveram, mas infelizmente, a Hellen não”, afirma.

Filho pediu socorro

De acordo com a parente, o filho de 11 anos da vítima viu a mãe sendo agredida, pegou a bicicleta e foi até a casa da avó, que fica a menos de um quarteirão do imóvel onde o crime foi cometido.

Como não conseguiu acordar a avó, o menino foi à delegacia de Zacarias, mas não achou ninguém e resolveu pedalar até a casa de uma tia, onde conseguiu pedir socorro.

Hellen foi encontrada esfaqueada com golpes no tórax e nos braços. Ela foi levada à Santa Casa de Buritama (SP), mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

“A filha de 6 anos me falou que ele tinha feito dodói na mãe dela. A menina ainda não conseguiu entender tudo que aconteceu. Ela também correu para uma casa da vizinha, tentando pedir ajuda”, afirma a parente de Hellen.

Passagens pela polícia

O delegado responsável por investigar o caso afirmou que Marcelo possui passagens por furto, roubo, lesão corporal e homicídio tentado.

“A vítima tinha uma medida protetiva contra o suspeito, mas como os dois voltaram, ela expirou. Ele tem um histórico de violência doméstica”, diz Marco Antônio de Oliveira, delegado de José Bonifácio e responsável pelo expediente de Zacarias.

A quantidade de facadas que causaram a morte de Hellen ainda permanece desconhecida, mas um lado do Instituto Médico Legal (IML) irá apontar.

Marcelo prestou depoimento à Polícia Civil e foi transferido na tarde de segunda-feira (19) para a carceragem da Divisão Especializada de Investigações Criminais (DEIC) de São José do Rio Preto (SP), onde permanece à disposição da Justiça.