sexta-feira, 2 de outubro de 2020

Preso no Ceará homem que assassinou em São Paulo a ex-namorada, bailarina do “Faustão”, confira aqui! | UltimasNoticiasBrasil..com


Preso no Ceará homem que assassinou em São Paulo a ex-namorada, bailarina do “Faustão”, confira aqui! | UltimasNoticiasBrasil..com


Preso no Ceará homem que assassinou em São Paulo a ex-namorada, bailarina do “Faustão”



A Polícia Civil do Ceará capturou em Fortaleza, nesta quinta-feira (1º), um foragido da Justiça do estado de São Paulo. Trata-se de Anderson Rodrigues Leitão, de 32 anos, que foi condenado a 11 anos de prisão pela morte da ex-namorada, a bailarina cearense Ana Carolina de Souza Vieira, ex-integrante do Programa do Faustão, da Rede Globo de Televisão.

Polícia prende na Vila do Mar bandido que assassinou “coroinha” de 14 anos
Neto é flagrado escavando a carne da avó de 90 anos logo após mata-la
O crime aconteceu em novembro de 2015, quando a bailarina foi encontrada morta no apartamento em que morava na Rua Vergueiro, no Sacomã, na Zona Sul de São Paulo. Anderson foi localizado e detido, ontem, na casa de familiares, no bairro Barroso. Ele havia fugido em abril último de um presídio paulista, onde cumpria pena no sistema semiaberto.

De acordo com o relato das autoridades policiais de São Paulo, horas depois de ser detido, no mesmo dia em que o corpo da bailarina foi encontrado, Anderson confessou ter matado a ex-namorada por estrangulamento. Em depoimento, revelou que o motivo foi ciúmes.

O corpo
Depois de pedir ao porteiro que não deixasse Anderson entrar no edifício, a bailarina Ana Carolina permitiu que o ex-namorado subisse para o apartamento dela, após ele insistir muito. O irmão de Carolina, Igor Vieira, soube da morte por meio de um tio que mora em São Paulo.

Funcionários do prédio onde o crime aconteceu afirmaram que sentiram um forte odor vindo do 5º andar. Ao tocarem a campainha, notaram que a porta estava destrancada. Logo, o corpo da jovem foi encontrado enrolado por cobertores, na cama. Havia sinais de violência e o cadáver já estava entrando em estado de decomposição, pois a mulher havia sido morta há três dias da descoberta do cadáver. A Perícia concluiu que a morte foi provocada por asfixia mecânica (estrangulamento).

Julgamento
Anderson Rodrigues Leitão foi julgado em 2017 e condenado a uma pena privativa de liberdade estipulada pela Justiça de São Paulo em 11 anos e quatro meses de reclusão. No começo deste ano, ele foi colocado em regime semiaberto e, em abril, fugiu de São Paulo e voltou para o Ceará.


fonte:  Mceara