quarta-feira, 18 de novembro de 2020

As 12 coisas mais irritantes que passageiros brasileiros fazem durante os voos segundo os comissários de bordo


 
Foto: Reprodução
O que mais irrita os comissários de bordo no Brasil? Há algum tempo nós postamos uma pesquisa com os comissários americanos, mas será que por aqui as queixas são as mesmas? Para descobrir isso, o Melhores Destinos fez uma pesquisa inédita com mais de 80 funcionários da Azul, Gol e Latam e eles revelaram as 12 coisas mais irritantes que os passageiros fazem durante os voos. Será que você já fez alguma delas? Confira a seguir!

1. Não acomodar sozinho a própria bagagem
A bagagem de mão ganhou importância após o fim da franquia de bagagem despachada, mas tem passageiros que exageram no tamanho e no peso e que acabam dificultando o trabalho da equipe antes do voo:  “Uma das coisas mais irritantes que fazem é trazer bagagem pesada ou em grande quantidade e não conseguir carregar ou erguer sozinho. Além de ocupar o espaço de quem trouxe o correto, ainda exigem que você carregue ou levante para eles até o compartimento, sendo que muitas vezes está pesado”, disse um comissário da Gol.

2. Bagagem de mão fora do padrão
Ainda falando da bagagem de mão, o momento de acomodar as malas antes do voo às vezes pode gerar tensão entre os passageiros e exigir muita paciência dos comissários, que por vezes precisam se esforçar para encontrar espaço para as malas fora do padrão:  “Tem passageiro que leva dois volumes de bagagem de mão (mochila e mala pequena) e quer acomodar os dois no compartimento superior, sendo que mochila preferencialmente deve ser acomodada abaixo do assento à frente”, lembrou outro comissário. “Além disso não temos a obrigação de acomodar bagagens que estão fora do padrão de dimensões”.

3. Ouvir música sem fones de ouvido
Ouvir música ou assistir a programas sem fones de ouvido pode gerar incômodo para os demais passageiros e também para a equipe do voo: “Ninguém é obrigado a ouvir suas músicas, vídeos ou filmes da Netflix.”, lembrou um comissário da Latam. “Outra coisa que irrita profundamente é quando estamos oferecendo algo como o serviço de bordo e o passageiro com fone de ouvido não nos escuta. Aí quando passamos a fila e seguimos no corredor, o indivíduo ainda tem coragem de dizer que não oferecemos a ele”, concluiu.

4. Nada de “psiu!”
Ao contrário do que alguns pensam, os comissários preferem ser chamados pelo nome. “Não é à toa que está escrito em letras garrafais no crachá”, lembrou uma comissária da Gol. “É o fim quando nos chamam fazendo “psiu” ou nos “cutucam” quando estamos falando com outro passageiro ou no serviço de bordo”, ressaltou outro comissário.

5. Banheiro na hora errada
Sabemos que muitas vezes não é possível esperar para ir ao banheiro. Mas se não for urgente, o ideal é não se levantar no momento em que ocorre o serviço de bordo, já que o corredor do avião é estreito: “Levantar para ir ao banheiro durante o serviço de bordo atrapalha muito, principalmente quando o voo é curto”, disse uma aeromoça. “Ficar andando no corredor durante serviço de bordo também”, complementou outra. “Damos o anúncio antes de começar a fazer o serviço de bordo, aí começamos e fica aquela fila indiana atrás da gente, temos que voltar várias vezes com o carrinho”.

6. Falta de cordialidade
Educação sempre faz bem não é? E um mínimo de simpatia com quem está trabalhando para garantir nossa segurança durante a viagem é indispensável! “A falta de educação e cordialidade é o que me irrita. Hoje algumas pessoas acham que só tem direitos e não deveres”, comentou uma comissária da Latam. “Tem passageiros que olham para nós quando entram no avião e não respondem sequer nosso bom dia/tarde/noite”, lembrou outra comissária. “Tratam a gente como serviçal”.

7. Pedidos fora de hora
Uma comissária de bordo reclamou dos pedidos feitos fora de hora. “Por exemplo, tem passageiro que pede água depois que você já foi buscar para o passageiro ao lado. Por que não pede junto? Não, espera o pedido acontecer, eu voltar pra buscar e chegar para pedir e eu ter que voltar de novo”. Não se trata de má vontade, mas quem conhece o serviço da equipe de voo sabe que são muitas tarefas importantes e um atraso pode atrapalhar bastante.

8. Olho nas crianças!
Quem tem filhos sabe: muitas vezes não é fácil entretê-los em um longo voo de avião. Mas deixar que apertem a chamada dos comissários é uma péssima ideia: “É importante não deixar as crianças tocarem a chamada de comissários somente por brincadeira”, disse uma comissária da Latam. “É um problema quando elas ficam apertando aleatoriamente pois aquilo não é brinquedo”, confirmou outro da Azul.

9. Atenção às solicitações
Alguns dos pedidos dos passageiros chegam a ser curiosos, mas podem ser irritantes para quem lida diariamente com solicitações em inúmeros voos pelo Brasil a fora: “Não adianta solicitar coisas que não existem nos voos, como fralda para bebê, comidas diferenciadas, bebidas alcoólicas em trechos curtos, entre outras coisas”. “Tem ainda os que pedem água e não consomem, deixando nos bolsões dos assentos”, lembrou uma aeromoça.

10. Troca de assentos indisponível
Trocas de assentos antes do voo costumam ser causa de stress também. Existe o caso de passageiros que não desejam colaborar com outros e muita irritação de todas as partes – o que pode ser contornado facilmente com um pouco de boa vontade para auxiliar o próximo. “Incomoda bastante também quando o passageiro quer solicitar troca de assento para uma poltrona que não pode ser trocada por qualquer motivo”, completou uma das comissárias ouvidas pelo MD.

11. Falta de agilidade no embarque
“Ficar em pé no corredor pegando coisas na mala enquanto ainda esta acontecendo o embarque é um grande problema. Acumula uma fila enorme atrás dele, só esperando terminar”, disse um comissário da Azul. “Quando demoram para ocupar o assento acaba atrasando o fluxo do corredor”, completou outra da Gol.

12. Desrespeitar as normas de voo
Por fim, o campeão de todos os micos, que você deve evitar a todo custo: desrespeitar as regras de segurança durante o voo! Não apenas pela irritação, mas também por colocar em risco a sua segurança e a de outros passageiros –  e isso vale para as novas regras devido à pandemia da Covid-19, como o uso de máscaras. “O pior é quando os passageiros levantam com o aviso de atar cintos ligado. Já aconteceu até em momentos de turbulência, o que pode colocar em risco a segurança de todos”, afirmou um comissário da Latam.

“Os passageiros poderiam ser mais empáticos ao entender que as regras são para a segurança de todos. Além disso, quando ocorrem atrasos a culpa não é nossa. Gostaríamos de chegar em casa ou no hotel no horário programado também, mas a meteorologia não está no nosso controle”, lembrou um comissário da Gol. “É importante respeitar os procedimentos nacionais e internos quanto à segurança, pois a atitude individual implica diretamente na segurança coletiva”, disse.

Com informações do site: Melhores Destinos, Thayana Alvarenga