quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Bolsonaro é cobrado sobre prorrogação do Auxílio Emergencial e dá resposta cabeluda: ‘Pergunta para o vírus’


 
Foto / reprodução
Jair Bolsonaro (sem partido) deu uma resposta ao estilo “curto e grosso” para um apoiador político nesta terça-feira, dia 24 de novembro. Na ocasião, o presidente da República foi questionado sobre a possibilidade de extensão do Auxílio Emergencial para 2021. Sem dar uma resposta concreta, o mandatário nacional recomendou que a pessoa perguntasse ao vírus, em referência à pandemia do coronavírus.

“Pergunta para o vírus. A gente se prepara para tudo, mas tem que esperar certas coisas acontecerem.
Mas esperamos que não seja necessário. Eu espero que não seja necessário, porque é sinal que a economia vai pegar e não teremos novos confinamentos no Brasil, né? Espero”, disse o presidente da República em resposta ao apoiador político na porta do Palácio da Alvorada, a residência oficial.

O Auxílio Emergencial começou a ser pago no mês de maio para tentar conter os danos financeiros ocasionados pela pandemia e respectivas medidas de lockdown pelo país.
A proposta inicial era o pagamento até julho, mas com o avanço da pandemia, o programa foi prorrogado uma primeira vez para setembro e, na sequência, para dezembro.
 
Inicialmente, o valor oferecido pelo Governo Federal para os cidadãos aptos ao cadastro era de R$ 600 e R$ 1.200 para mães solteiras. Após a prorrogação do Auxílio Emergencial, o valor foi reduzido pela metade em cada uma das duas modalidades.

Jair Bolsonaro acredita que se não fosse o pagamento do Auxílio Emergencial certamente o país estaria em um marasmo do ponto de vista financeiro. O presidente da República espera que não seja necessária a prorrogação do benefício, torcendo para o fim da pandemia o mais rápido possível.


Com informações do site: i7news, Henrique