quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Companheiro é preso após confessar ter tirado a vida da atendente de padaria


 

Foto / reprodução

O companheiro da atendente de padaria Mirelle Figueiredo Peruzia, que foi assassinada com um tiro na cabeça na última segunda-feira (16/11) quando seguia para o trabalho, foi preso nesta quarta-feira (18/11). Foi o próprio Isaías Júnior Carvalho, de 42 anos, quem se apresentou à Polícia Civil e confessou ser o autor do crime.

 Aconteceu no bairro Camará, na Serra, na Grande Vitória. De acordo com a família de Mirelle, ela e o companheiro estavam casados há 11 anos. Juntos, os dois tinham uma filha de sete anos.

De acordo com a titular da Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção à Mulher (DHPM), delegada Raffaella Aguiar, que é responsável pelo caso, a Polícia Civil já vinha coletando indícios que apontavam o caminhoneiro Isaias como o autor do crime. Um deles, foi o modo como o homicídio foi praticado.

"Ela saiu de casa pra ir ao trabalho e o ponto de ônibus fica próximo à e casa deles. Ele foi ao encalço dela. O tiro que a matou foi encostado na nuca. Por isso, desde o início, vestígios já apontavam que quem tinha praticado o crime era uma pessoa próxima a ela porque ela não teve reação. Ela simplesmente deve ter visto que era o marido se aproximando, não deu importância e aí ele a executou", disse a delegada.

Motivação do feminicídio

Conforme explica a delegada, o casal havia discutido pouco antes do crime por um motivo banal. Mirelle havia deixado um celular cair e proferiu um xingamento. Isaías, então, a repreendeu e os dois iniciaram uma discussão, que acabou com a morte da jovem de 27 anos.

"Durante o depoimento dele, é possível perceber que é aquele feminicida clássico, pois ele tenta justificar o ato cruel, que é o homicídio, desqualificando a figura da vítima", pontuou a delegada.

Quando chegou à delegacia para confessar o crime, Isaías estava usando a aliança dele e a da vítima. "Ele disse que amava muito a mulher. Percebe-se que a confissão dele está toda permeada em um machismo estrutural. Não há justificativa, a pessoa não percebe nem o erro dele", ressaltou a delegada.

Família em choque

A notícia de que Isaías foi o responsável pela morte de Mirela chocou os familiares.

"Não consigo chorar, não consigo sorrir, não consigo comer. Eu só queria a minha filha e volta", lamentou a mãe de Mirelle, Aleuda Viana Figueiredo.

Segundo a família, já havia relatos de que o caminhoneiro tinha um comportamento violento com a esposa. E mesmo sendo o autor do crime, Isaías participou tanto do velório quanto do enterro de Mirelle.



"O velório foi ao lado da casa dele, ele ficou o tempo todo lá, participou do enterro, por isso nós estamos admirados com essa situação", disse o empresário Vanilson de Souza Paula, que era cunhado de Mirelle.

A preocupação da família, agora, é com a filha do casal. "A gente vai agora ao Conselho Tutelar para ver o que o Conselho vai orientar, pois com a mãe falecida e o pai agora detido, quem vai cuidar dessa criança? Mas a família está desesperada, decepcionada", lamentou Vanilson.

A Secretaria de Estado de Justiça (Sejus) confirmou que Isaías deu entrada no Centro de Triagem de Viana nesta quarta-feira.

De acordo com a delegada Raffaella Aguiar, a prisão do caminhoneiro foi necessária para que a polícia colete provas suficientes para denunciá-lo ao Ministério Público e, assim, possibilitar a condenação dele pela Justiça.

COM INFORMAÇÕES DO G1  - PORTAL  SBN