domingo, 8 de novembro de 2020

Homem é preso por estuprar e engravidar a própria filha


 




CAMPO GRANDE (MS) - Um homem de 51 anos, foi preso na noite desta sexta (6) em Campo Grande, acusado de estuprar e engravidar a própria filha. Na casa onde o ele foi preso, a Polícia Militar também encontrou porções de cocaína, pasta-base e crack.

A sargento da Polícia Militar, Gizele Guedes Viana, que faz parte do "Programa Mulher Segura", contou que os abusos começaram quando a vítima tinha apenas 11 anos. Aos 17, ela engravidou do próprio pai. Hoje, ela tem 26 anos e o filho, fruto dos abusos, 9.

Segundo a sargento, o pai era agressivo e ameaçava matar a vítima e seus familiares caso os estupros fossem denunciados. Entre 2012 e 2016 , ele ficou preso por tráfico de drogas. Após ser solto, voltou a cometer os estupros. O último foi no dia 31 de dezembro de 2018.

Em abril de 2019, a moça contou sobre os abusos sofridos desde a infância ao companheiro e, encorajada por ele, revelou o caso ao restante da família, inclusive que o filho era fruto de um incesto.

Ao procurar a Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), a vítima registrou o primeiro boletim de ocorrência e conseguiu uma medida protetiva. Porém, como o autor não tinha residência fixa, a polícia não conseguiu encontrá-lo para notificá-lo. Ele continuou procurando a filha, indo até a casa dela e ameaçando a família.

Há cerca de 15 dias, a vítima novamente foi à Deam para denunciar que continuava sendo perseguida e procurou setor do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS). O caso foi informado ao "Programa Mulher Segura" e, a partir daí, as equipes fizeram uma "força-tarefa" para localizar o autor.


Ontem (6), por volta das 18h, o homem foi até a casa da filha e fez ameaças. Ela disse que ligaria para a polícia e ele fugiu.

Desde que o programa da PM começou a acompanhar o caso, uma "corrente do bem" foi montada no bairro. Segundo a sargenta, um morador o viu na região e fez a denúncia.

O autor foi localizado e preso numa casa que alugava há dois anos. Ele também usava o local para vender drogas.

Denuncie

A PM ressalta que, além de denúncia na Deam, as vítimas de violência também podem entrar em contato com o "Programa Mulher Segura" pelo número (67) 99180-0542. O telefone também funciona como o WhatsApp e está disponível 24h por dia.

A cabo da PM, Priscila Fabiane, que também atendeu a ocorrência, frisou a importância da denúncia. "Esse caso serve como alerta e encorajamento. A mulher precisa se manifestar e terá uma rede de apoio", comentou.


Com informações do site radiocacula,Marcela Damore, 07/11/2020 10h42