quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Homem que estuprou e enterrou garota viva é executado com injeção letal


 


Foto / reprodução


A execução ocorreu 26 anos após o crime; a jovem foi morta como forma de vingança contra seus irmãos

Um homem que sequestrou e estuprou uma garota antes de enterrá-la viva foi executado por injeção letal nos Estados Unidos na última semana. Orlando Hall foi condenado por seu papel no horrível no crime contra a irmã, de 16 anos, de dois traficantes de drogas que ele suspeitava terem roubado seu dinheiro.

Em 1994, Hall deu aos dois irmãos, que conheceu em um lava-rápido, US $ 4.700 para comprar maconha, mas quando falou com eles novamente, ambos afirmaram que tanto o carro e como o dinheiro haviam sido roubados.

Acreditando ter sido enganado, Hall e mais quatro comparsas foram até a casa dos irmãos em Arlington, Texas, para exigir o dinheiro. No entanto, segundo a investigação, quando chegaram no apartamento encontraram Lisa Rene sozinha. Ela foi sequestrada como forma de vingança.

Conforme a acusação, Lisa foi estuprada repetidamente por dois dias, espancada, antes de ser levada para uma área de mata, onde já haviam cavado sua cova. Eles então amarraram um lençol na cabeça da vítima e desferiram pelo menos dois golpes de pá contra ela, um deles quando a jovem tentou correr durante uma tentativa desesperada de não ser assassinada. Seu corpo foi encontrado oito dias depois e o legista afirmou que ela morreu sufocada após ser enterrada viva.

Hall foi executado às 23h47 de quinta-feira (19), horário local.  Uma declaração sobre a execução, em nome da família de Lisa, foi emitida.

“Estamos lidando com isso há 26 anos e agora temos que reviver o pesadelo trágico que nossa amada Lisa passou. Terminar esse doloroso processo será uma meta importante para nossa família. Este é apenas o fim das ramificações jurídicas. A execução do Orlando Hall nunca vai parar o sofrimento que continuamos a suportar. Obrigado por orar por nossa família e por sua família. Hoje marca o fim de um capítulo muito longo e doloroso em nossas vidas”, disse Pearl Rene. Minha família e eu estamos muito aliviados que isso acabou”.

Hall foi considerado culpado por um júri totalmente branco, que os advogados afirmam ter sido o resultado de discriminação racial.

Três dos homens envolvidos no crime chegaram a um acordo para testemunhar contra Hall e Bruce Webster, e todos foram libertados desde então. Webster também foi condenado à morte, mas um tribunal anulou a sentença no ano passado por considerá-lo mentalmente deficiente.

Sua morte é a oitava sentença executada este ano sob o governo Donald Trump , após um hiato de 17 anos de execuções federais.

Com informações do site: RIC Mais