quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Indígena de 5 anos é raptada, abusada e morta em aldeia no Amazonas


 

Manaus - O corpo de uma menina indígena, de 5 anos, da etnia Sateré-Mawé, foi encontrado, na tarde da última segunda-feira (23), em uma área de cultivo na aldeia Nova Vida, em Barreirinha, a 330 quilômetros de Manaus.

Conforme a Polícia Militar, a criança sofreu abuso de um adolescente, de 16 anos, da mesma etnia, foi apreendido suspeito de participar do crime.

O subtenente Carneiro Pinto, do 1º Grupamento da Polícia Militar (GPM), explicou ao Portal EM TEMPO que a criança estava dormindo, em uma rede, quando foi raptada de dentro da casa da família, por volta das 4h30 da madrugada.

A mãe e as outras irmãs da menina também estavam dormindo e não presenciaram o sequestro da vítima.

Logo nas primeiras horas da manhã de segunda, o desaparecimento da criança ganhou repercussão na aldeia e mobilizou os moradores, que saíram em busca da vítima.

Uma camiseta deixada pelo adolescente na casa da menina fez com que ele fosse apontado como o principal suspeito.

"Durante o sequestro, o menor deixou cair uma camisa dentro da casa criança. E, como todos se conhecem na aldeia, logo identificaram que a vestimenta era do adolescente, pois ele usava a roupa com frequência", explicou o subtenente. 

Os moradores conseguiram capturar o adolescente e acionaram a equipe do 1º GPM. Os policiais chegaram na comunidade no momento em que a população, revoltada, se preparava para fazer Justiça com as próprias mãos. 

"Tivemos que acalmar os ânimos dos moradores, detivemos o menor que confessou a participação no crime e indicou o local onde o corpo da menina estava enterrado. O adolescente relatou, ainda, que contou com ajuda de outro comparsa, identificado apenas como 'camarão', mas acreditamos ainda no envolvimento de um terceiro suspeito", disse Carneiro. 

O corpo da menina estava enterrado no meio de uma plantação da aldeia e foi encontrado por volta de 16h de ontem. Para evitar que o suspeito fosse linchado, os policiais o conduziram para a delegacia na sede do município, situada cerca de uma hora de viagem pelo rio. 

"O adolescente contou que estava sob efeito de entorpecentes quando participou do crime. Infelizmente, a droga tem dominado as comunidades ribeirinhas e indígenas no nosso município", pontuou o subtenente. 

Na manhã desta terça (24), a equipe do 1º GPM foi informada que o segundo suspeito teria sido encontrado na comunidade. Os policiais foram até a aldeia, mas até a publicação desta matéria a prisão do envolvido não havia sido confirmada. 

O caso está sendo investigado pela 42ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Barreirinha. 

Com informações do site: EmTempo, Daniel Landazuri