terça-feira, 17 de novembro de 2020

Porque você JAMAIS deveria dormir com o celular na cama


 
Existem muitos boatos por aí envolvendo o celular e como ele poderia afetar seu cérebro, seu sono e assim por diante. E, apesar de muita coisa ser mirabolante demais para ser verdade, o certo mesmo seria você (ou qualquer outra pessoa) jamais dormir com o celular na cama.

A explicação por isso vai muito além das supostas ondas de radiação que o celular pode liberar. O problema, na realidade, vai muito mais além: celulares podem superaquecer, pegar fogo ou, simplesmente, explodir.

Embora histórias assim já deveriam ser suficientes para assustar as pessoas, os inúmeros casos de acidentes já registrados não impedem as pessoas de dormir com o celular na mão, na cama ou carregando, perto da cabeça. Não é verdade?

Ou você vai dizer que não usa o celular até pegar no sono e o larga por ali mesmo? E que atire a primeira pedra quem não faz do celular despertador e o deixa bem pertinho, ao alcance das mãos e dos olhos? Todas essas situações corriqueiras, aliás, podem aumentar suas chances de entrar para a estatística dos celulares derretidos.
 
Especialistas alertam que os riscos de um acidente são moderados, mas existem. Como todo eletrônico que funciona com eletricidade, o celular deve ser usado com cuidado, de forma a não favorecer seu superaquecimento. Por isso, deixar o celular longe de travesseiros, cobertores e outros objetos que possam funcionar como isolantes térmicos, especialmente durante o carregamento.

Os mesmos cuidados deveriam ser tomados com notebooks, por exemplo. Você jamais deve cobrir as ventoinhas do computador, responsáveis por resfriar o dispositivo, e que costumam ficar na parte de trás do aparelho. Isso já basta para fazer seu notebook ficar tão quente ao ponto de queimar internamente ou até mesmo pegar fogo.