segunda-feira, 16 de novembro de 2020

Quanto tempo de munição o Brasil teria em uma guerra contra os EUA? Resposta vai te surpreender

Quanto tempo de munição o Brasil teria em uma guerra contra os EUA? Resposta vai te surpreender
 



Jair Bolsonaro (sem partido) respondeu que "quando acaba a saliva, tem que ter pólvora" sobre alegações de Joe Binden sobre o desmantamento da Amazônia, dando a entender o um possível conflito entre as nações. Mas será que o Brasil aguenta um conflito com qualquer país que seja?

Com equipamentos de comunicação obsoletos, armas e outros itens comprados na década de 70 e 80, fontes miliates confessaram ao G1 que o país teria munição para apenas uma hora de combate.

Para se ter ideia, os fuzis brasileiros eram comercializados há 40 anos atrás e mais de 120 mil dessas armas têm mais de 30 anos de uso. "Posso afirmar que possuímos munição para menos de uma hora de combate", disse o general na reserva, Maynard Marques de Santa Rosa, ex-secretário de Política, Estratégia e Assuntos Internacionais do Ministério da Defesa.

Além dele, o general Carlos Alberto Pinto Silva, que é ex-chefe do Comando de Operações Terrestres (Coter), disse que a quantidade de munição do exército brasileiro sempre foi mínima.
"Nossa artilharia, carros de combate e grande parte do armamento foram comprados nas décadas de 1970 e 1980. Existe a ideia errônea que não há ameaça, mas se ela surgisse, não daria tempo de reagir", pontuou.

90% dos recursos do exército é para o pagamento de pessoal

Nos últimos anos, o Brasil investiu 1,5% do PIB em Defesa, de acordo com os dados do Ministério.

Em 2020 o Exército irá receber 28 milhões de reais, mas mais de 90% do dinheiro é destinado ao pagamento de salários. Aé o momento o Ministério da Defesa não se pronunciou sobre o relatório.