sexta-feira, 27 de novembro de 2020

Saúde do homem: 7 sinais que as partes de baixo estão mal higienizadas


 
Foto / reprodução
Do Minha Saude - A famosa frase "a primeira impressão é a que fica" aparece em destaque quando o assunto é higiene da região de baixo. Na região de baixo a higiene é fundamental. Dois motivos básicos: é um local com muitos germes e pode ser foco de doenças transmissíveis.

A palavra de ordem quando falamos em higiene masculina é equilíbrio. O objetivo não é destruir todos os germes que moram na região, pois os fungos, bactérias e vírus da pele são protetores e cumprem papel importante ao evitar que outros mais agressivos apareçam. Exatamente os que podem provocar doenças transmissíveis pelo contato. Por isso, na higiene diária, a escolha correta dos produtos e a adoção de hábitos saudáveis e direcionados para essa região é muito importante.

Sinais da parte de baixo mal higienizado
A parte de baixo limpa tem uma coloração e odor característicos. Por isso, existem algumas características visíveis de um órgão mal higienizado:

Cheiro forte e desagradável
Placas brancas que descamam com o atrito
Manchas avermelhadas
Feridas
Verrugas

Além disso, outros sinais podem incomodar o homem diretamente:

Coceira
Dor

Para o homem, às vezes o odor forte não é percebido.
O dono acaba se acostumando com o cheiro e acha normal. Manchas e feridas que persistam por mais de 48 horas na parte de baixo indicam que algo está errado. Coceira e dor no local também sinalizam que algo não está bem. Capriche na higiene, use preservativo e observe.

Então se você percebeu manchas, feridas ou verrugas que persistam por mais de 48 horas: procure seu medico. Lembre-se que as doenças nessa região são diagnosticadas conforme o aspecto clínico. Em outras palavras: o médico precisa examinar para saber do que se trata.

Como deve ser feita a higienização do órgão?
A higiene desta área merece alguns conselhos. No banho, o melhor sabonete é o neutro. Isso mesmo, nada de gastar dinheiro com sabonetes caros e que se dizem especiais. Aqueles femininos nem pensar! Sabonete de coco ou de glicerina cumprem muito bem o papel de higienizar o local sem destruir os germes protetores que moram no local. Lembre-se que não existe local da pele sem flora, ou seja, sem germes que moram ali sem causar doenças. Quando usamos produtos germicidas que destroem esses germes, outros mais agressivos podem ocupar esse espaço e causar doenças.

No banho é preciso expor a cabeça e lavar com água e sabonete. Quem não consegue colocar a cabeça para fora quando ele está flácido durante o banho precisa ir ao médico.
É impossível fazer uma boa higiene no órgão sem expor a cabeça. O smegma (secreção que é produzida localmente pelas glândulas que existem no local) se acumula e precisa ser removido diariamente. Quando ele permanece em contato com a cabeça durante anos, a irritação crônica pode causar até o temido câncer da parte de baixo.

Um banho por dia, geralmente está de bom tamanho. Muita umidade no local favorece a proliferação de fungos. Evite. Por isso, depois do dia de trabalho, esportes, a regra é: banho e secar bem.

Aqui vale outra dica lembrando a nossa meta de manter o equilíbrio: não raspe os pelos. A ideia de que raspar pelos melhora a higiene é falsa. Seria como retirar as árvores de uma floresta e esperar que isso não cause a morte dos animais que habitam ali.
Quando os pelos são raspados aumenta muito a ocorrência de inflamações e infeções na região como foliculites e balanopostites.

Para os gordinhos e aqueles que transpiram muito, talcos antissépticos nas dobras podem ser úteis. Absorvem a umidade residual e evitam a proliferação excessiva de alguns germes.

Depois de urinar, NÃO SEQUE O ÓRGÃO COM PAPEL HIGIÊNICO! Isso mesmo. Não precisa. A urina é estéril, ou seja, não tem germes prejudiciais ao organismo. Além disso, o papel que fica no banheiro acaba apresentando muitos germes daquele ambiente. Basta que você exponha a cabeça caso não tenha retirado o prepúcio. Urine com calma e ao final espere mais alguns segundos para que o material do final do canal tenha tempo de ser expelido.
Uma leve e muito suave ordenhada pode ajudar.

O uso do preservativo é sempre recomendando quando queremos manter o equilíbrio no local. A camisinha além de evitar DSTs, evita a troca de germes habitantes do local entre os parceiros.

Depois do ato, retirar o preservativo e tomar um bom banho lavando a região além de muito relaxante ajuda na manutenção da higiene.

Riscos de não higienizar o órgão para seu parceiro 
O risco principal é de contrair doenças. Mas fazer o ato sentindo um cheiro desagradável não combina em nada com um ato saudável. Por isso, a parceira ou parceiro desempenham um papel muito importante na orientação do homem que mostra sinais de higienização precária.
O primeiro passo é alertar de forma gentil e aconselhar. Claro que o uso do preservativo ou mesmo a abstinência é sempre recomendado.

Outro aspecto importante é que o órgão mal higienizado pode apresentar lesões na pele que irão prejudicar a vida do proprietário. Isso mesmo! Lembrando a importância do equilíbrio entre os germes habitantes normais dessa região, a higiene precária acaba por favorecer a proliferação excessiva de germes que são oportunistas. Essa é a principal causa das balanopostites (inflamações da cabeça e do prepúcio) e os fungos são os grandes vilões nessa situação.

Portanto, aconselhar o parceiro na melhora do asseio pode significar saúde para os dois.