terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Bebê de 5 meses chora e casal espanca até a morte na Bahia


 
Foto: Reprodução
Bebê de 5 meses é assassinado na Bahia; suspeitos são presos
Pai da criança admitiu o crime e afirmou que batia na vítima para ela parar de chorar. Um casal foi preso suspeito de matar um Bebê de 5 meses, que era seu próprio filho em Érico Cardoso, município no sudoeste da Bahia. O homem e a mulher teriam espancado a criança por ela chorar muito.

Em depoimento, o pai da criança revelou que eles batiam no bebê para que ela parasse de chorar.
Apesar de assumir o crime e dizer que a mulher também participava, a mãe do bebê negou as agressões.

Segundo a delegada encarregada do caso, Maria Helena, o casal deu entrada com o bebê no Hospital Municipal da cidade por volta das 14h30, na segunda-feira (21). O médico constatou a morte e notou a presença de sinais de espancamento na cabeça, tórax e costas da criança. A Polícia Militar foi acionada e conduziu o casal para a delegacia.

A dupla foi presa por homicídio qualificado e foram levados para a Delegacia de Livramento de Nossa Senhora, onde estão à disposição da Justiça. O corpo da vítima foi encaminhado ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Brumado.

Homicídio qualificado
O homicídio é qualificado quando revela uma atitude especialmente censurável ou perversa do praticante. Pode ser quando o homicida tortura a sua vítima, aumentando o seu sofrimento.

Também pode ser considerado qualificado quando o motivo do homicídio está relacionado com a discriminação (racial, sexual ou religiosa).
A premeditação de um homicídio também pode ser um fator que o classifica como qualificado. Por exemplo, uma pessoa que envenena outra poderá ser julgada por homicídio qualificado.

Os fatores que determinam o homicídio, como o motivo, meio, ou quando é feito para encobrir outro crime, são chamados de qualificadores. Se um homicídio tem dois qualificadores, é considerado duplamente qualificado, se tem três qualificadores é triplamente qualificado.

Com informações do site: De olho News