quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

Cliente encontra fezes humana após pedir comida por aplicativo; ‘já tinha comido metade do prato’


 
Foto / reprodução
Esta notícia é difícil de engolir; concorda? Mas aconteceu e poderia ser com qualquer cliente que pedi as refeições através dos diversos aplicativos que existem no mercado.

Com a pandemia da Covid-19 o mercado de entregas a domicilio cresceu exponencialmente no Brasil e no mundo.

O isolamento social tão necessário para evitar o contágio pelo novo coronavírus, fez com milhões de pessoas em todo o mundo passassem a pedir refeições através do serviço de delivery e foi em um destes pedidos que o cliente encontrou fezes “humanas”.

De acordo com as informações repassadas pelo portal de notícias online, ‘Último Segundo’, o caso aconteceu na Inglaterra, um homem identificado como Wil Burtenshaw, de 25 anos, fez o pedido em um aplicativo e recebeu a embalagem cheia de fezes.

Ainda segundo Wil, ele já havia comido cerca da metade do prato, quando notou que havia algo de errado com a sacola e descobriu o excremento.

O britânico usou o serviço do aplicativo Uber Eats, o pedido de uma canja de galinha aconteceu no último domingo (6), ele solicitou a refeição em um de seus restaurantes preferidos que fica na cidade de Bristol.

Wil contou que estava comendo quando uma mancha marrom na sacola plástica chamou sua atenção, quando ele olhou de perto não conseguia acreditar no que estava vendo e ao cheirar teve certeza de que era fezes.

O rapaz utilizou seu perfil nas redes sociais para compartilhar as fotos e relatar o incidente. Após o ocorrido, o homem passou mal e, segundo ele, está de cama desde domingo.

O restaurante afirmou que o alimento saiu do estabelecimento em perfeito estado de conservação e higiene.

Wil revelou que acredita que o funcionário aplicativo seja o responsável. “Só Deus sabe o que este motorista estava pensando. É como se ele tivesse decidido usar o banheiro e não houvesse papel higiênico. Então, decidiu usar a sacola plástica”, desabafou.

Com informações do site: noticializando