quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Justiça pune pastor após dizer que vacina contra Covid-19 estava recheada de vírus HIV


 
Foto: Reprodução
O pastor evangélico Davi Goés, do Ministério Canaã de Fortaleza (Ceará) começa a ser responsabilizado pela Justiça após polêmicas e infundadas acusações contra a vacina da Coronavac utilizada para imunização ao coronavírus, agente causador da Covid-19, que já matou mais de 180 mil brasileiros desde o início da pandemia.

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) entrou em ação após o líder religioso insinuar que esta fabricante punha vírus HIV no imunizante, para contaminar a população com outro tipo agressivo de agente infeccioso.

Em documento apresentado pelo promotor de Justiça Ricardo Sant’Anna, da 85.ª Promotoria de Justiça de Fortaleza, o pastor Davi Goés é intimado a apresentar provas de que possui conhecimentos técnico-científicos suficientes para proferir tal declaração.
Caso não apresente o exigido parecer em tempo hábil, será constatada a ausência de conhecimentos específicos sobre o tema, podendo culminar em dura punição por parte da Justiça.
 
As falas do pastor evangélico foram ditas durante uma pregação, incitando os seus fiéis a darem início a campanhas difamatórias contra as vacinas utilizadas para o tratamento de Covid-19.
Todas as afirmativas do líder religioso foram feitas sem nenhum tipo de comprovação sobre a matéria.

“Depois de um tempo, doenças aparecerão. Muitas pessoas vão morrer de câncer, pensando que foi câncer porque comeu algo, porque foi hereditário, porque tem família, por um tumor, mas, na verdade, foi devido à vacina“, diz Davi Goés, no trecho que está sendo investigado pelo Ministério Público.

Com informações do site: i7news
Por Henrique