terça-feira, 22 de dezembro de 2020

Mãe confiou em sobrinha e a deixou como babá de sua filha; quando viu esta foto, ela ligou para a emergência!


 
Foto: Reprodução
Não é nada fácil ser uma mãe que trabalha fora. Ter que conciliar algo tão especial como a maternidade com um trabalho promissor é uma tarefa árdua para a maioria das mães. E esta tarefa só é concluída quando se encontra uma pessoa de confiança para tomar conta do seu bem mais precioso, seu filho.

A mãe da história a seguir se chama Claudia Sorhaindo e estava diante deste cenário. Ela era uma mãe coruja e não queria abandonar o ninho sem ter certeza de que estaria tudo bem. Só que Cláudia recebeu uma imagem bizarra da babá com sua filha no seu primeiro dia que a fez correr para casa. Confira este relato chocante!

Primeiros momentos
Claudia Sorhaindo é a jovem mãe da linda bebê Ava.
As duas moram no estado da Flórida, nos Estados Unidos. Claudia sempre foi uma mãe muito presente e fazia o possível para não sair de perto de Ava em momento algum.

Ela aproveitou cada segundo do seu período fora de trabalho, da sua licença maternidade. Eram poucos meses, mas ela os fez valer a pena o tanto quanto possível. Contudo, assim ela logo se deparou com um cenário muito complicado no trabalho e teve que agir.

Vida profissional
Sendo ela uma profissional dedicada ao seu trabalho, Claudia sabia que cedo ou tarde teria que voltar. Assim que retornou da licença maternidade, ela não teve mais um dia tranquilo; a empresa logo a designou para uma reunião em outra cidade, a qual ela tinha que ir de todo jeito.

Para piorar a situação, não era possível fazer a viagem com sua bebê. Era um trajeto cansativo demais e Ava é muito pequena. Claudia se viu em uma situação complicada e que exigia uma solução de emergência!

Escolhas difíceis
Ela se viu entre a cruz e a espada; não era nada tranquilo estar naquela posição de ter que escolher entre sua amada carreira e mais amada ainda filha. Além de que, por causa da licença, ela havia passado muito tempo fora e as coisas haviam mudado na empresa.

Claudia não podia faltar aquela importante reunião ou seu trabalho poderia ser colocado em jogado. Ela decidiu que iria escolher o emprego pela primeira vez na vida, mas não sabia das consequências que isto teria.

Desesperada
Claudia se viu desesperada. Ela precisava de alguém que pudesse tomar conta da bebê Ava durante seu período fora, que seria de poucos dias. A irmã de Claudia disse que sua  filha, que é a sobrinha de Claudia, poderia tomar conta.

Só que a sobrinha dela, J'Ann, era uma adolescente. Será que teria capacidade de tomar conta de uma criança? Claudia ficou em dúvida e seu desespero só aumentava diante da situação. Ela já havia tido problema com cuidadoras no passado.

Apaziguando a situação
O primeiro instinto da sua irmã foi de tentar acalmá-la. Ela logo relembrou Claudia que a jovem J'ann já tinha certa experiência como babá. Mesmo assim, Claudia sentia um grande nervoso pela situação.

Ela sabia que a garota era responsável, mas não sabia até que ponto poderia confiar a vida do seu bem mais precioso. Ela fez uma escolha e isto mudou o rumo da sua vida completamente...

Sem escolha
Um dia antes de viajar, ela se viu no meio de um grande caos. Nenhuma de suas outras opções "mais seguras" poderia cuidar de Ava por ela. Nem sua mãe, nem suas amigas mais próximas. Ela também não conhecia nenhuma babá de confiança...

Foi aí que Claudia optou pela sua sobrinha de 15 anos. Ela sentia dentro dela que não era a melhor escolha, até hesitou por bastante tempo antes de fazer a ligação que a deixaria tremendamente arrependida muito em breve.

Ensinando tudo
Claudia decidiu dar este voto de confiança para J'Ann e fingiu não ouvir aquela voz que gritava dentro dela, dizendo para ela não ir. Ela fez as malas e aguardou sua sobrinha. Logo quando a garota chegou, ela a ensinou como preparar a comida da bebê, explicou sobre como trocar as fraldas e como trancar a casa.

Por fim, ela passou uma lista de contatos para emergência e se despediu com o coração na mão. Quando ela já estava bem longe de casa, seu celular apitou para uma mensagem. Era de J'Ann. E a pobre mãe estava longe demais para fazer algo.

Um longo voo
A mãe coruja chegou no aeroporto e ficou com o celular à postos durante todo o tempo antes de entrar no avião. Nervosa, dentro da aeronave, ela desligou o aparelho e começou a cronometrar as horas para o pouso.

Nunca antes uma viagem havia demorado tanto! "Será que está tudo certo com Ava?", ela se questionava. Elas eram grudadas desde que a pequena nasceu. Mas, dali em diante, não tinha mais volta.

Um medo a mais
Ela sempre ficava ansiosa em ter que voar e aquela vez estava sendo particularmente difícil porque sua cabeça não saía do que poderia estar acontecendo em casa. Ela não tinha os melhores pressentimentos sobre a situação e tentou aliviar isto mentalizando que era só um medo natural.

No avião, ela ficou na cadeira do meio, ao lado de dois estranhos. Felizmente, seu voo não sofreu grandes atrasos e ela logo estaria em terra, com conexão de internet e podendo checar suas mensagens e fazer ligações.

Algo de errado
Assim que o avião pousou, Claudia tratou de correr para ligar seu celular e ver se não havia nenhuma mensagem da jovem sobrinha. Seu celular parecia estar demorando de propósito para ligar, como acontece com tudo que envolve tecnologia e precisamos de maneira desesperada!

A primeira mensagem era de J'Ann e havia uma imagem também, que ela tinha enviado pouco antes do voo decolar. Foi aí que ela abriu a foto e viu que havia algo fora do normal com as pernas da sua filha.

Não é normal!
Claudia sentiu como se tivessem rasgando seu peito! Ela olhou para a foto e viu algo muito estranho com a sua filha e logo seu corpo inteiro congelou. Para deixar a situação ainda mais tensa, ela não conseguia distinguir o que estava vendo na imagem.

Uma coisa, Claudia tinha certeza: o que ela estava vendo não era nada normal! Seu primeiro instinto foi ligar para a J'Ann, que não atendeu, só piorando tudo e transformando em um gigante efeito avalanche...

Ligando para a emergência
Como a sobrinha não atendeu sua ligação de primeira, ela voltou na conversa em busca de explicações. Ela viu que, além da foto, haviam também mensagens de texto e estas poderiam trazer algum afago... Na verdade, só a deixou mais nervosa.

A jovem começava a mensagem dizendo que estava com fome e ia na cozinha preparar algo para comer, o que inicialmente fez Claudia pensar que ela tinha deixado a criança só. Ela não pensou duas vezes e ligou para a emergência.
O desespero de uma mãe
Claudia estava em lágrimas. Ela viu as pernas de Ava e não podia acreditar. Não sabia se a garota tinha sido picada por algum animal ou tinha sentido alguma reação alérgica. Ela não podia acreditar que algo tão ruim teria acontecido em poucas horas de sua ausência.

As pernas estavam maiores do que o normal, como se estivessem com algum tipo de inchaço. Ela só sabia se perguntar o que poderia ter acontecido com a sua pequena garotinha para ela ter ficado daquele jeito.

Olhando a foto mais de perto
Claudia percebeu uma coisa. Ela não havia aberto a foto, muito menos deu zoom para ampliar o que estava vendo. Seu nível de desespero não havia permitido isto de sua parte, e ela só havia percebido isto agora.

Claudia respirou bem fundo, secou as lágrimas e abriu novamente a foto. Ela ampliou a imagem e olhou para tudo; foi quando ela percebeu que havia cometido um erro, e não tinha nada a ver com J'Ann.

Babá canguru
Como disse na mensagem, J'Ann sentiu fome e foi preparar um lanche. Conhecendo bem sua tia, ela sabia que não poderia deixar Ava desacompanhada nem por um minuto. Ela cogitou levar o berço da garota, mas seria muito pesado.

Foi então que a adolescente teve uma ideia... digamos, bastante diferente. Ela pegou a garotinha e colocou-a presa em seu short, como um canguru enquanto fazia seu lanche. O plano parecia ter tudo para dar certo.

Um mal entendido
Claudia só fazia rir da situação. Enquanto gargalhava, ela lembrou que havia ligado para a emergência e teve que resolver isto o mais rápido possível! Ela avisou que a situação não se passava de um mal entendido e que sua bebê estava bem.

Quando ligou para os serviços de emergência, ela disse que sua filha poderia ter tido uma reação alérgica ou algo do tipo. Felizmente, não havia tido reação alérgica alguma! Era apenas uma brincadeira saudável e sem perigos da sua sobrinha com a sua filha.

Levando uma bronca
Bem, apesar de toda a situação felizmente estar sendo bem divertida, Claudia levou uma bronca. Ela, que pensou que estava prestes a dar uma bronca na sobrinha, acabou sendo a pessoa a ouvir um sermão, e que lhe custaria bem caro...

Tudo isto porque é passível de multa chamar uma ambulância sem que haja uma emergência. Afinal de contas, o veículo vai se deslocar para uma situação que não há perigo e acaba por não ter a mesma disponibilidade caso aconteça uma situação legítima. Claudia levou uma tamanha bronca!

Uma multa exemplar
Não bastasse seu susto e toda a bronca que tomou, ela também teria que arcar com uma multa! Era um preço justo a ser pago pelo transtorno que ela causou sem necessidade alguma - e ela sabia disso.

A multa foi de $250 dólares e ela conseguiu reverter uma parte em serviços comunitários. Claudia não conseguia reclamar muito. Era bem melhor pagar sem nada ter acontecido do que vivenciar algo.

Uma brilhante iniciativa
A ideia que J'Ann teve era perfeita! Assim, com Ava presa em seu corpo como um canguru, ela poderia fazer sua comida e ter certeza de que a garotinha estava segura! Claudia ficou feliz por ver tamanha dedicação da sua sobrinha.

Além de ter ficado feliz com a brilhante iniciativa, ela caiu na gargalhada com todo o pânico que sentiu sem motivo algum. Felizmente, estava tudo bem em sua casa e ela só conseguia sentir cada vez mais confiança em sua sobrinha J'Ann. Final feliz!

Com informações do site: trends cathers