sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

PM assassinado dentro de casa foi alvo de emboscada no banho


 
Foto: Reprodução
A Polícia Civil concluiu as investigações que apuraram a morte de um policial militar, de 31 anos, em Cachoeira de Pajeú, no Vale do (Jequitinhonha). Um homem, de 25, foi preso sete dias após o crime e, agora, foi indiciado por homicídio triplamente qualificado.

A vítima foi morta a tiros no banheiro da própria casa, no dia 13 de outubro.
O corpo foi localizado pela Polícia Militar de Minas Gerais (PM MG) no final do dia em que o crime ocorreu, pois, o policial não se apresentou ao trabalho naquela tarde.

De acordo com o apurado, o suspeito estava na casa da vítima, aguardando a chegada dela para realizar o crime, cometido com um revólver calibre 38 e uma pistola calibre 40, está de propriedade do policial.
O suspeito esperou a vítima entrar no banheiro para tomar banho e a surpreendeu, de costas, com os tiros.

No dia 20 de outubro, um trabalho integrado entre a Polícia Civil e a Polícia Militar resultou na localização do suspeito, capturado pelas autoridades em posse do revólver calibre 38. A arma estava em um quarto, acondicionada no coldre que era do policial militar, juntamente a cartuchos do mesmo calibre.

Segundo o investigado, que confessou a autoria do crime, a motivação seria o fato de a ex-namorada dele ter um relacionamento amoroso paralelo com o policial militar.

Inicialmente, a polícia representou pela prisão temporária do suspeito e depois pela preventiva, ambas deferidas pela Justiça. Após as investigações, foi confirmada a autoria do crime, tendo sido o inquérito policial concluído no último dia 17. A pena para esse tipo de crime é de 12 a 30 anos de prisão.


Com informações do site: bhaz