sábado, 23 de janeiro de 2021

Amiga é presa suspeita de matar manicure encontrada morta em floresta


 
Foto: Reprodução
A Polícia Civil prendeu na quarta-feira (20) duas pessoas suspeitas de participação na morte da manicure Niasia Alves dos Santos, de 26 anos. As prisões ocorreram no município da Serra (ES) e entre os suspeitos está uma amiga da vítima, de 33 anos. As informações são do Uol.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Raffaela Aguiar, o casal foi detido em uma casa. “Com depoimentos de pessoas bem próximas da vítima, a gente conseguiu um direcionamento que nos apontasse que esses dois, que foram presos ontem, eram os autores”, contou a delegada.

A manicure estava desaparecida desde o dia 22 de dezembro, após sair de Guarapari de moto para encontrar uma amiga. No último dia 27, o corpo da jovem foi encontrado em uma floresta de eucaliptos em avançado estado de decomposição e com sinais de violência.

“A gente não conseguiu precisar qual instrumento foi usado no crime, mas temos certeza de que houve morte violenta”, explicou a delegada ao Uol.

Irmão da suspeita estava com a moto
Conforme a polícia, os advogados dos suspeitos orientaram o casal a não comentar sobre o caso. Durante as investigações, a amiga da vítima chegou a ser ouvida pelos investigadores e alegou apenas que tinha comprado a moto de Niasia e nunca mais teve contato com ela. A moto da vítima foi encontrada pela polícia no interior do estado com o irmão da investigada.

Ela e o marido foram levados para o Centro de Detenção Provisório de Viana. Ao Uol, o pai da vítima, Marcos Renan Santos, de 46 anos, contou que a filha tinha adquirido a moto há cerca de três meses e havia transferido recentemente para o nome dela.

De acordo com Marcos, ele não acredita na versão contada pela amiga, já que Niasia saiu de casa sem os documentos da moto. “Agora, o rapaz que foi encontrado com a moto tem que explicar sobre isso. Acredito que tem mais gente para ser detido. Essa história está nada explicada. A polícia tem que investigar”, disse o pai da vítima ao Uol.

Com informações do site: Uol