sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

Após denúncia de ex, polícia faz buscas contra Nego do Borel no Rio e em São Paulo


 
Foto: Reprodução
A  Polícia Civil de SP, com apoio de agentes fluminenses, cumpriu nesta quinta-feira (28) dois mandados de busca e apreensão contra Nego do Borel. Um dos mandados foi cumprido na casa de Nego no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio.

O outro foi em um endereço em São Paulo, onde o cantor estava. Agentes apreenderam o passaporte de Nego, além de telefones e um computador.

As buscas estão relacionadas ao boletim de ocorrência que Duda Reis, ex do cantor, registrou na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), em São Paulo. Duda afirma ter sido vítima de violência e de ameaças feitas pelo ex-noivo — ele nega.

Nego também prestou queixa contra a atriz, por injúria, calúnia e difamação.
No dia 15, policiais apreenderam na casa de Nego no Recreio uma réplica de fuzil, usada para a prática de airsoft. A 42ª DP (Barra) apurava a denúncia publicada em meios de comunicação de que ele teria um fuzil em casa.

O que disse Duda
No dia 14, Duda contou aos policiais da 1ª DDM que as agressões de Nego começaram em fevereiro de 2018, durante o carnaval. Ela disse que o cantor a ameaçou porque ela foi ao Sambódromo do Rio sem a anuência dele.

A partir daquela data, depôs Duda, o cantor iniciou uma rotina de "humilhações e xingamentos" e que foi agredida fisicamente na frente de outras pessoas.

Segundo Duda, em agosto de 2018, durante uma viagem a Portugal, foi estuprada por Nego nos momentos em que ela estava sob efeito de remédios.

A atriz relatou que, incentivada pelo então namorado, tomava doses maiores que as prescritas de um medicamento controlado.

Ela também disse à polícia que, na mesma viagem, depois de ter se recusado a acompanhar o cantor em uma das apresentações dele, foi agredida e teve lesões nas costas e pernas, mas não recebeu atendimento médico em nenhuma dessas ocasiões.