domingo, 10 de janeiro de 2021

O que falta divulgar sobre a Coronavac — e o que se sabe até agora


 

A semana que se encerra hoje foi palco de um dos momentos mais aguardados pelos brasileiros nos últimos longos meses. Nesta sexta-feira, 8, as duas primeiras vacinas do Brasil contra a covid-19 tiveram um pedido de registro emergencial junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e a expectativa otimista é que os brasileiros comecem a ser vacinados ainda em janeiro.

Foi nesse contexto que, um dia antes, o Instituto Butantan também divulgou parte dos esperados dados de eficácia da Coronavac, vacina da chinesa Sinovac com a qual tem parceria.

A divulgação trouxe boas notícias: a confirmação de que a Coronavac tem eficácia, é segura e poderá começar a ser usada em breve para controlar a pandemia. Mas ainda há mais dados que precisam ser apresentados ao público, dizem especialistas ouvidos pela EXAME.

Os números de eficácia divulgados até agora foram de 78% para casos leves e 100% para graves e moderados. O valor quer dizer que, de um grupo hipotético de 100 vacinados, 22 tiveram casos leves. E nenhum vacinado foi hospitalizado, foi parar na UTI ou precisou de respirador.

Com informações do site: EXAME