terça-feira, 26 de janeiro de 2021

Professor acusado de estupros é preso pela Polícia Civil em MS


 
Foto: Reprodução
O professor Florêncio Garcia Escobar de 55 anos acusado estuprar a própria afilhada e a irmã dela há pelo menos 10 anos já se encontra recluso no 1° Distrito Policial de Aquidauana. A prisão preventiva foi decretada no final da tarde de sexta-feira (22) após a conclusão da investigação da Delegacia de Atendimento a Mulher de Aquidauana (DAM).

A investigação reuniu diversas provas dos crimes de estupro de vulnerável, em especial o relatório de atendimento psicológico das vítimas e laudo de exame de conjunção carnal que confirmaram as acusações.
De acordo com a delegada titular da Delegacia de Atendimento a Mulher de Aquidauana, Joilce Silveira Ramos, neste momento, ao ser abordado pelos policiais, em sua residência, o professor não resistiu à prisão e informou que só seria interrogado na presença de seu advogado.

O caso veio à tona em dezembro, quando a vítima, hoje com 18 anos, relatou o ocorrido à mãe após se deparar com o abusador em uma reunião familiar. Conforme apurado, a garota mora em Campo Grande. No último dia 7, esteve em Aquidauana juntamente com uma amiga. Por estar de folga do trabalho, a mãe dela decidiu promover um jantar e convidou amigos e familiares.

Um dos convidados era o professor e também padrinho da vítima. Ao vê-lo, a jovem começou a se sentir mal, ficou assustada e se trancou no quarto, onde chorou. A amiga estava com ela e relatou o ocorrido à mãe, que até então não fazia ideia do abuso. Diante dos fatos, no dia seguinte a jovem foi levada de volta para Campo Grande.

A irmã dela, de 15 anos, também relatou ter sido ‘tocada’ várias vezes pelo professor. Ambas as jovens tiveram problemas de depressão e tentativa de suicídio em razão do ocorrido.

Em nota, o Conselho de Saúde de MS, disse que o autor renunciou a função de Conselheiro Estadual de Saúde e ao cargo de Presidente da Mesa Diretora por meio de um Termo de renúncia datado de 08 de janeiro de 2021, informando tratar-se de razões de cunho pessoal.

"A Mesa Diretora do Conselho Estadual de Saúde tomou conhecimento pela mídia, da existência de um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Atendimento à Mulher , na cidade de Aquidauana, envolvendo o ex-conselheiro citado, no qual encontra-se em segredo de justiça.

Sendo assim, cabe ao Conselho Estadual de Saúde e aos seus membros o acolhimento da renúncia e as providências administrativas decorrentes da mesma, conforme definido no Regimento Interno vigente.

A atual presidência é indicação do Fórum dos Usuários/SUS a quem caberá a substituição do conselheiro para cumprimento do mandato até maio de 2021".

Com informações do site: Jd1 notícias