sábado, 23 de janeiro de 2021

Vítima de extorsão, mulher ajudou polícia a prender ex que divulgou "vídeos"


 
Foto: Reprodução
Quando Luana Pereira, 29 anos, anda pelas ruas de Juazeirinho, cidade com menos de 20 mil habitantes no interior da Paraíba onde nasceu, ela sente os olhares inquisidores sobre seu corpo. Eles, muitas vezes, vêm acompanhados de palavras ofensivas. Vizinhos sentem-se à vontade para zombar de Luana depois que o ex-namorado dela, Uillan Cássio da Silva, 32 anos, espalhou em diversos grupos de WhatsApp fotos e vídeos que expunham Luana em atos de realação de abuso.

Em uma das ocasiões filmadas, Luana denuncia ter sido estuprada por três homens – entre eles o ex – e ter sido forçada a gravar o abuso. Após as imagens tornarem-se públicas e diante de ameaças, ela procurou a polícia. O inquérito instaurado pelo delegado Elias Rodrigues, então titular da delegacia de polícia civil de Juazeirinho, concluiu que Uillan extorquia dinheiro da vítima sob ameaça de divulgar as imagens. Perícia também apontou que ele seria o responsável pela publicidade do material.

“Ele fez de tudo para diminuí-la como mulher. Instaurei o inquérito com base em artigos da Lei Carolina Dieckmann e da Lei Maria da Penha. Pedi a prisão preventiva do acusado porque ele zombou da Justiça, não respeitou nem mesmo a medida protetiva e continuou ameaçando e humilhando a vítima”, relata o delegado. A investigação também apontou que Uillan já cometeu o mesmo tipo de crime outras vezes.


O acusado foi preso por descumprir medida protetiva.


Com informações do site: Metrópoles