segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

9 sintomas do câncer de laringe pouco conhecidos: insônia, dor no ouvido e mais


 
Foto: Reprodução
A laringe é um órgão em forma de pirâmide que fica localizado na nossa garganta. Embora não chame muito nossa atenção, é nela que estão nossas cordas vocais - essenciais para o desenvolvimento da fala.

Câncer de laringe
A laringe pode ser dividida em três diferentes compartimentos: subglote, glote e supraglote. É na glote que estão as cordas vocais e é justamente nessa região que tumores malignos tendem a aparecer. A maioria dos cânceres de laringe são carcinomas de células escamosas, que significa que o câncer se desenvolve nas células escamosas que revestem a laringe.

Fatores de risco
O cigarro e o álcool são os principais fatores de risco para o câncer de laringe, de modo que já foi analisado um aumento significativo no risco de desenvolver a doença em pessoas que possuem esses hábitos.

Sintomas
Conhecidos
Rouquidão
Dor de garganta persistente
Dificuldade de engolir
Sensação de um corpo estranho na altura do pescoço
Dificuldade respiratória
Não tão conhecidos
Dor no ouvido
Insônia
Infecções torácicas recorrentes
Distúrbios gastrointestinais
Diagnóstico
O diagnóstico do câncer de laringe leva em consideração os sintomas, histórico do paciente, se é fumante e/ou usuário habitual de álcool. Para visualizar a região afetada é ideal serem realizados exames de imagem como a laringoscopia direta e indireta. Mas, além disso, é indispensável a realização da biópsia, que pressupõe a retirada de fragmento do tumor para análise, a fim de determinar se é maligno ou não. Se for maligno (nem todos são), é fundamental saber o grau da doença para orientar o tratamento.

Tratamento
O tratamento do câncer de laringe leva em consideração o estágio da doença e conta com os seguintes recursos: quimioterapia, radioterapia e cirurgia. O diagnóstico precoce é crucial para tratamentos mais efetivos e com maiores respostas.

Em casos muito avançados a retirada cirúrgica da laringe (laringectómica total) pode ser uma opção, mas só quando o paciente não responde a outras formas de tratamento, pois implica a perda da voz e a colocação de traqueostomia definitiva. Mesmo nessas situações, porém, é possível restaurar a fala dos pacientes utilizando próteses fonatórias tráqueo-esofageanas ou a laringe eletrônica, conhecida como voz robotizada monótona.

Com informações do site: Vix