segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Cabo do Exército grava assédio cometido por sargento


 
Foto: Reprodução
Um cabo do Exército que vinha sofrendo assédio na corporação decidiu gravar uma das investidas do suspeito, o sargento Ricardo Godoi. O caso ocorreu no Rio de Janeiro e foi denunciado pelo programa Fantástico, da TV Globo, no domingo (14).

O assédio teria ocorrido em um prédio no Rio de Janeiro que era administrado pelo sargento suspeito. O cabo afirma que foi chamado para verificar um apartamento que estava vazio. “Ele fecha a porta. Quando ele me pede para sentar no sofá da sala, começa a fazer elogios do meu porte físico, né, e começa a acariciar as minhas pernas. Ele queria fazer sex* oral”, diz o denunciante ao Fantástico.

A conversa gravada pelo cabo mostra a investida do sargento. “Eu não vou fazer nada, não. Só um pouquinho. Passei a chave na porta, ninguém vem para cá agora, não”, diz o suspeito.

O cabo diz que pensou em correr, mas decidiu ficar para “acabar com esse mal que já vem há muito tempo”, afirma. Perguntado por que decidiu gravar a investida logo no primeiro contato com o sargento, ele diz: “Eu já ouvia esses boatos, que o sargento fazia esse tipo de ato libidinoso ali no aquartelamento.”

Em outra ocasião, o sargento volta a fazer investidas sobre o cabo. Desta vez, o suspeito teria aberto o zíper da vítima e colocado a mão em suas partes íntimas. “Você tem uma coisa que eu adoro, sabia? Uma coisa que eu gosto”, fala o suspeito. Em seguida, ele pede: “Só um beijo.”

Inquérito indicia cabo
O Exército abriu um inquérito para investigar o caso e colocou não só o sargento acusado de assédio como investigado, como também o cabo vítima das investidas. Segundo a corporação, os dois são suspeitos porque enquanto um tentou o ato libidinoso, o outro teria permitido a situação.

Para o cabo, o fato de ele ter sido indiciado ocorre porque o sargento é um “superior hierárquico”. “Eles estão querendo ‘revirar’ o jogo contra mim.”

O Ministério Público Militar definirá quem será indiciado de fato e por qual tipo de crime.

Com informações do site: Jornal De Brasília