quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

‘Estuprador merece morrer na cadeia’, diz vítima de abuso sexual em Vespasiano


 
Foto: Reprodução
Tortura psicológica, ameaças de morte, humilhação ao ser perguntada se “sabia como uma p*t* fazia”. Uma mulher de 49 anos que foi vítima de estupro em Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte, conversou com a imprensa, nesta terça-feira (16), e contou os momentos de terror que passou enquanto estava com o criminoso. O homem foi preso preventivamente na última semana.

O crime aconteceu no dia 22 de janeiro, quando ela foi abordada pelo estuprador, de 41 anos, em um ponto de ônibus. “Estava esperando o ônibus para ir à igreja. Ele parou o carro pedindo informação. Ele queria sair na MG-010 para poder ir ao bairro Jane. Me perguntou como saía lá, eu fui explicar, ele abriu a porta (do veículo) e mandou que eu entrasse ou me mataria lá fora mesmo”, disse a vítima, sob anonimato.

A dona de casa contou que não tinha mais ninguém na rua e, por medo, entrou no Monza.
Já no carro, o bandido colocou uma faca na costela da mulher, um pano na boca dela para que parasse de chorar e iniciou uma tortura psicológica afirmando que a mataria.

“Ele dizia: ‘eu te furo todinha de faca e depois de bala’. Eu pedia misericórdia ao Senhor, estava indo para a igreja com a minha bíblia. Ele levantou meu vestido, passou as mãos nas pernas e perguntou se eu sabia como que uma p*t* fazia, eu disse que não e ele falou que ia me ensinar.
Quando ele parou o carro, tentou subir em cima de mim, mas ele era muito forte e estava batendo no teto do carro. Depois, fora do veículo, arrancou minha roupa, obrigou a passar as mãos nele. Eu estava cheia de ponto por causa da cirugia”, desabafou.

Ao não conseguir ter relação sexual com a vítima, ele ordenou que ela fosse embora sem olhar para trás. A mulher andou, por cerca de 30 minutos, até conseguir chegar em casa e pedir ajuda às filhas.

Aliviada após prisão

A dona de casa e as filhas deslocaram até a delegacia, onde registraram o boletim de ocorrência. Com a prisão do homem, a vítima está aliviada.

“Eu sofri demais, foi muita tortura, muitos palavrões. Foi muito nojento o que ele fez comingo Eu fico feliz, sim, dele ter sido preso. Ele merece ficar lá (prisão) por mim e pelas outras (vítimas). Tem que apodrecer na cadeia. Eu acho que um estuprador merece morrer na cadeia porque não tem coração, não tem Deus na vida dele”, finalizou.

Com informações do site: portalsete