quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

Professora é presa por fazer ato com aluna de 14 anos em classe, nos EUA


 
Foto: Reprodução
Hayley Morgan Hallmark, professora e treinadora de futebol de um colégio em Niceville, no estado norte-americano da Flórida, foi presa na sexta-feira (5), após ser acusada de manter conduta lasciva e fazer atos com uma aluna, informou o NY Post, aproveitando-se de sua influência sobre a menor de idade.

A vítima, que tinha 14 anos na época em que o relacionamento se iniciou, disse aos investigadores que ela e Hallmark praticavam atos após os treinos de futebol, quando ela ficava até mais tarde na escola para auxiliar a treinadora.

"A adolescente explicou que a ré e ela realizavam esses atos dentro da sala de aula, acobertando as câmeras da sala e encostando-se na porta para que ninguém pudesse entrar", de acordo com o relatório o policial.

A garota, que não teve a identidade revelada, disse aos investigadores na quinta-feira (4) que ela estava no nono ano do ensino fundamental, quando ela e Hallmark começaram a trocar mensagens em meados de 2017.

Um ano depois, a dupla passou levou o relacionamento para além do colégio e passou a trocar mensagens com frequência. O relatório policial indica que a mulher de 35 anos recebeu e enviou fotos para a aluna.

A adolescente disse que ela e Hallmark também realizaram "vários atos" tanto na casa dela quanto na casa da professora, conforme registrado no relatório da prisão.

Uma busca no telefone da garota corroborou as acusações e confirmou uma "relação inadequada" entre ela e adulta, que teria durado até agosto de 2020.

Hallmark foi colocada em licença administrativa na quinta-feira, um dia antes de um mandado de prisão ser emitido, disseram funcionários do xerife.

Antes mesmo de a prisão ser efetuada, o colégio já havia colocado a professora em licença administrativa. Autoridades judiciais tentarão suspender seu pagamento à medida que o processo criminal prossegue.

Enquanto isso, Hallmark permanece detida sob fiança de US$ 20 mil (cerca de R$ 107 mil). No estado da Flórida, a pena mínima para a acusação de conduta lasciva enfrentada pela professora é de 2 anos.

Com informações do site: informaçõesbr