segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Veja 9 causas da coceira no couro cabeludo e como aliviar o problema


 
Foto: Reprodução
Ter vontade de coçar o couro cabeludo o tempo inteiro não é normal e pode causar muito incômodo. As causas do problema são diversas e incluem doenças de pele, como psoríase e dermatite atópica, mas também podem envolver outras situações, como alergias a produtos ou até mesmo os temidos piolhos.

O dermatologista Daniel Cassiano, da Clínica GRU e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica razões pelas quais seu couro cabeludo coça e como obter alívio:

Caspa
O principal sinal do problema são “flocos” brancos no cabelo ou nas roupas. De acordo com Daniel Cassiano, a caspa é uma dermatite causada pela alteração na produção de sebo pelas glândulas sebáceas e resposta inflamatória local desregulada. “A dermatite seborreica tem predisposição genética e piora muito com ansiedade e estresse”, completa o médico.

A caspa apresenta-se como áreas avermelhadas, descamativas e com crostas em alguns casos. Em períodos de estresse, é comum perceber o agravamento do problema.

Para amenizar a situação, é importante investir em xampus e condicionadores específicos de três a quatro vezes por semana durante os períodos críticos. “Após a crise, o xampu pode ser utilizado uma vez por semana, para prevenção e manutenção”, afirma Cassiano.

Alergia
A coceira pode ser uma reação alérgica a algum ingrediente presente no xampu, no condicionador ou em algum outro produto que esteja entrando em contato com o couro cabeludo. O processo alérgico pode causar erupção cutânea com coceira no couro cabeludo e em qualquer outro local da pele que o produto toque.

Segundo Daniel Cassiano, um couro cabeludo com coceira, seco e escamoso também pode indicar que há necessidade de enxaguar melhor o xampu do cabelo. “Deixar um pouco de produto no couro cabeludo pode irritá-lo”, reforça o dermatologista.

Mas se coceira na cabeça está acompanhada de erupção na pele, é possível que o problema seja dermatite de contato alérgica. A condição é comum entre pessoas que costumam pintar o cabelo, por conta de um ingrediente chamado para-fenilenodiamina (PPD), presente especialmente em tinturas pretas.

Encontrar o produto que está causando a coceira é essencial para acabar com o problema. Neste sentido, o ideal é consultar alergologistas ou dermatologistas para identificar quais substâncias estão sendo responsáveis pela reação alérgica.

Urticária
Além da coceira intensa, o problema é caracterizado por protuberâncias vermelhas e salientes que podem se formar em qualquer parte da pele, incluindo o couro cabeludo. O dermatologista Daniel Cassiano explica que as urticárias tendem a ir e vir em poucas horas. Se o processo se estende por mais de seis semanas, recebe o nome de urticária crônica (de longa duração). “Para obter alívio, o tratamento médico ajuda”, recomenda o especialista.

Piolhos
Associados apenas às crianças, os piolhos também atacam adultos e têm na coceira um dos seus principais sintomas. Os insetos se instalam no couro cabeludo pois se alimentam de sangue — daí a coceira. Os piolhos também usam o local para depositarem seus ovos, as lêndeas, facilmente identificáveis por ficarem grudadas nos fios (ao contrário da caspa, por exemplo).

É preciso retirar os piolhos e as lêndeas imediatamente, uma vez que estes animais reproduzem-se com rapidez e podem passar de uma pessoa para outra. O tratamento da pediculose se faz com antiparasitário tópico e sistêmico.

Micose do couro cabeludo
O problema, também conhecido como tínea capilar, é uma infecção causada por um fungo. Além da coceira intensa, erupções na pele também são comuns. Este tipo de micose pode passar facilmente de pessoa para pessoa por meio da partilha de pentes, toalhas, chapéus, almofadas ou qualquer outro objeto que esteja em contato direto com a cabeça do infectado.

tratamento não pode ser feito sem o diagnóstico de um médico dermatologista, pois requer medicação antifúngica prescrita.

Psoríase do couro cabeludo
Estima-se que 50% dos pacientes com psoríase em placas apresentam um surto no couro cabeludo em algum momento, de acordo com Daniel Cassiano. “A psoríase do couro cabeludo frequentemente causa coceira, variando de leve a intensa”, detalha o dermatologista. Os principais sintomas incluem manchas avermelhadas, descamação semelhante à caspa, escamas branco-prateadas e couro cabeludo seco.

O tratamento pode incluir o uso de xampus medicamentosos ou outros remédios, que devem ser prescritos por um médico dermatologista. “Alguns medicamentos novos, os imunobiológicos, têm apresentado grande melhora na qualidade de vida desses pacientes”, completa Cassiano.

Problema nervoso
Se a coceira na cabeça não vem acompanhada de erupção na pele ou outra reação cutânea, o problema pode ser neuropatia. “É a palavra médica para um problema ao longo de um nervo devido a um dano, doença ou uma anormalidade no funcionamento do nervo”, explica Daniel Cassiano.

De acordo com o dermatologista, as doenças que podem afetar os nervos incluem herpes zoster e diabetes. Cicatrizes profundas causadas pela perda de cabelo também podem desencadear o problema, uma vez que podem ter danificado os nervos.

Câncer de pele
A coceira pode estar sendo causada ainda por um câncer de pele que se desenvolveu no couro cabeludo, de acordo com Cassiano. Proteger a região da exposição excessiva ao sol é crucial para prevenir a doença, já que os raios UV são o principal fator de risco.

Visitar o dermatologista com frequência é altamente recomendável, pois este tipo de câncer é, muitas vezes, assintomático. “Por meio do exame do couro cabeludo, o médico pode diagnosticar o câncer de pele, encaminhar para fazer o teste ou verificar se alguma outra coisa pode estar causando a coceira”, completa o dermatologista.

Com informações do site: Metrópoles