terça-feira, 16 de fevereiro de 2021

Veja: Irmão da Advogada Izadora Mourão é preso acusado de assassinar a irmã


 
Foto: Reprodução

Foi preso em flagrante, no final da tarde desta segunda-feira (15/02), João Paulo Mourão, 35 anos, jornalista e Bacharel em Direito, irmão da Advogada Izadora Mourão, que foi assassinada com sete facadas no pescoço, no último sábado (13/02), dentro do próprio quarto, em Pedro II.

Após pericia e investigação, chegou-se ao nome do irmão da vítima, como principal suspeito em assassinar Izadora. De acordo com o delegado Francisco Baretta, coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foram encontradas, no quarto do suspeito, roupas sujas de sangue e a faca que teria sido utilizada para assassinar a advogada.

João Paulo foi preso dentro da própria casa e encaminhado para Teresina, onde deverá ter a prisão preventiva decretada. A principal suspeita é que o crime possa ter ocorrido por questões de herança, o acusado negou as acusações durante a prisão. Com isso, praticamente descarta-se a possibilidade de uma mulher entrar dentro do quarto da vítima.

João Paulo concedeu uma entrevista a TV Meio Norte falando sobre o crime, veja versão:




Mãe pode ter sido cúmplice

Ainda de acordo com a polícia, a mãe de Izadora e João Paulo pode ter sido cúmplice no crime, uma vez que, segundo o DHPP, ela teria procurado um álibi para tentar acobertar o jornalista.

“A mãe dele, quando viu a moça morta, a primeira coisa que fez, em vez de ligar para a polícia, ligou para uma faxineira para ela [a faxineira] dizer que ele [João Paulo] estava dormindo, para criar um álibi”, apontou Barêtta.

Mãe da advogada Izadora Mourão criou álibi para evitar prisão do filho, diz DHPP

A mãe da advogada Izadora Mourão, poderá ser indiciada por participação no crime que vitimou a própria filha, no último sábado (13) na cidade de Pedro II. De acordo com a Polícia Civil, a idosa pode ter criado um falso álibi para acobertar o filho, o jornalista João Paulo Mourão, que foi preso na tarde desta segunda-feira (15) acusado de matar a irmã.

O GP1 conversou com o delegado Francisco Costa, o Barêtta, coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investigou o caso. Ele afirmou que a mãe de João Paulo e Izadora criou um álibi para proteger o filho e evitar a sua prisão. Ela teria ligado para uma faxineira, pedindo que ela dissesse que estava na casa na ocasião do crime e que o jornalista estava dormindo no momento.

“A mãe dele, quando viu a moça morta, a primeira coisa que fez, em vez de ligar para a polícia, ligou para uma faxineira para ela [a faxineira] dizer que ele [João Paulo] estava dormindo, para criar um álibi”, disse Barêtta.

As investigações conduzidas pelo delegado Danúbio Dias acabaram por derrubar o álibi. “A mãe dele criou um álibi com uma faxineira, mas é mentira, já foi derrubado esse álibi, foi descortinado um a um. Não viram ninguém entrar na casa a partir das 6h da manhã, ninguém entrou lá”, declarou Barêtta.

Pode ser indiciada

O coordenador do DHPP ressaltou que o caso está sendo analisado cuidadosamente, para que seja constatada a necessidade ou não de indiciar a mãe da vítima. “Vamos estudar a matéria processual direitinho, para ver se ela tem alguma coisa. Vamos estudar com tranquilidade nos 10 dias da conclusão do inquérito em flagrante”, colocou.

Prisão do irmão

João Paulo Mourão foi preso na tarde desta segunda-feira (15), acusado de assassinar a própria irmã a facadas. A Polícia Civil prendeu o jornalista em flagrante em sua residência na cidade de Pedro II.

O irmão de Izadora Mourão se formou em Jornalismo na Universidade Federal do Piauí (UFPI) no ano de 2014 e trabalhava na Secretaria Municipal de Comunicação de Pedro II e em uma rádio local.

O crime

Izadora Mourão foi assassinada com pelo menos sete facadas dentro de casa, em Pedro II. A princípio, circulou a informação de que ela teria sido morta por uma mulher, que sequer foi identificada.

Por volta das 22h desta segunda-feira (15) chegou à sede do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) o jornalista e bacharel em Direito, João Paulo Mourão, de 35 anos. Ele é acusado pela Polícia Civil do Piauí de ter assassinado a própria irmã, a advogada Izadora dos Santos Mourão, de 41 anos, na manhã do último sábado (13), no município de Pedro II.

João foi preso em flagrante na tarde desta segunda-feira (15) após uma investigação que teve à frente o delegado Danúbio Dias. Os policiais do DHPP encontraram no quarto do acusado a faca utilizada no crime e roupas manchadas de sangue. Até o momento, o homem não confessou o crime e em sua chegada preferiu não responder às perguntas da Imprensa, que montou campana na frente do DHPP desde o início da noite.

O preso será ouvido no DHPP, depois levado ao Instituto Médico Legal (IML) onde fará exame de corpo de delito e em seguida apresentado à Central de Flagrantes. João deve passar por audiência de custódia nesta terça-feira (16), quando poderá ter a prisão em flagrante convertida para prisão preventiva, permanecendo assim durante esse início de processo.

O Departamento de Homicídio deve se manifestar com maiores esclarecimentos sobre o caso na manhã desta terça-feira.


Com informações do site:  riachoemfoco