quarta-feira, 10 de março de 2021

Juiz marca para maio interrogatório de Lula sobre compra de caças


 
Foto: Reprodução

O juiz Frederico Botelho de Barros Viana, substituto da 10ª Vara Federal em Brasília, marcou para 27 de maio o interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo em que ele é acusado de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa pela compra dos caças do modelo Gripen no governo de Dilma Rousseff.

Segundo a acusação do Ministério Público Federal (MPF), o petista participou de negociações irregulares para a compra de 36 caças Gripen, fabricados pela empresa sueca Saab. Os crimes teriam sido praticados entre 2013 e 2015.

Luís Cláudio Lula da Silva, um dos filhos do petista, também responde ao processo e teve o interrogatório agendado para 28 de maio. Ele é acusado de receber de um lobista valores supostamente pagos para que Lula usasse sua influência na compra dos caças.

O interrogatório de Lula no processo havia sido marcado em 2019, mas foi cancelado pela Justiça para que testemunhas no exterior, entre elas, os ex-presidentes franceses François Hollande e Nicolas Sarkozy, fossem ouvidas.

Os depoimentos já estão no Brasil, mas segundo o despacho do juiz Barros Viana, o responsável pela tradução pediu um prazo de 25 dias para terminar o trabalho.

A 10ª Vara Federal, onde tramita o caso dos caças, e a 12ª Vara, as duas no Distrito Federal e especializadas em lavagem de dinheiro, são os dois possíveis destinos dos processos de Curitiba cujas decisões foram anuladas na segunda-feira pela decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Funcionários da Justiça relataram que a 12ª Vara tem mais chances de receber os processos. O motivo, dizem, é ela ter sido criada recentemente, em 2019, e, por isso, ter um acervo de processos menor, fato levado em conta pelo sistema de distribuição eletrônico da Justiça.


Com informações do site:  terrabrasilnoticias