close

quinta-feira, 8 de abril de 2021

Homem que revelou ter outra mulher pouco antes de ser intubado deixa UTI-covid


 
Foto: Reprodução

O bombeiro, que abandonou a mulher pela outra mulher antes de ser intubado, deixou a UTI-covid no domingo (4) e foi transferido para a enfermaria de um hospital particular de Campo Grande (MS). De acordo com um funcionário do hospital ouvido pelo Uol, desde a intubação, o paciente, que não teve a identidade divulgada, começou a progredir rapidamente.

Ele foi encaminhado para a enfermaria após todos os exames indicarem plena recuperação, inclusive com o pulmão já sem traços de comprometimento.
Segundo o Uol, o funcionário do hospital não soube informar se a mulher e a outra do bombeiro estão se mantendo atualizadas sobre o estado do paciente.

Relembre o caso

Na última quarta-feira (31), uma mulher, de 48 anos, foi até a delegacia em Campo Grande (MS) após descobrir que o marido, infectado pela Covid-19 e prestes a ser intubado, estava em um hospital particular com a outra amante.

De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima é casada há 20 anos com o homem. O casal tem uma filha. A esposa recebeu uma ligação do companheiro enquanto estava no trabalho.
Ele disse que estava com coronavírus e que iria procurar atendimento médico, mas que ela “não precisava ir até o hospital, pois ele já estava melhor”.

Segundo apurado pelo G1, mesmo com o pedido do marido, a mulher decidiu ir até o hospital pois estava preocupada. Ao buscar informações sobre o parceiro na unidade de saúde, ela foi informada que o paciente estava “acompanhado da namorada”.

A esposa aguardou na unidade até encontrar com a mulher e descobrir que a outra, ainda por cima, era uma amiga sua. Conforme a ocorrência, a esposa conseguiu conversar com o companheiro, que disparou: “A partir de hoje a [nome da mulher que não será divulgado pela reportagem] cuida das minhas coisas. Você pode ir embora, cuida da sua vida”.

Na sequência, a outra mulher pegou os documentos do homem, bem como cartões de banco e o aparelho celular. O caso foi registrado como preservação de direito na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) Centro.


Com informações do site:  istoe