domingo, 11 de abril de 2021

Jovem é morta com tiro na testa no Nordeste e suspeito alega disparo acidental


 
Foto: Reprodução
Uma jovem de 25 anos morreu com um tiro na cabeça quando participava de uma festa em Fortaleza (CE), na casa de um empresário dono de um curso de idiomas, no último sábado (20).
 
Segundo o homem, o tiro foi um disparo acidental de sua arma, que ele mostrava à Alana Beatriz Nascimento de Oliveira.
 
As amigas da vítima, porém, acreditam que ela foi assassinada. As informações são do portal “UOL”.
 
O corpo de Alana de Oliveira foi encontrado no dia seguinte ao da festa, no domingo (20), com a bala alojada na cabeça. Ao UOL, uma fonte ligada à investigação contou que, de acordo com o empresário David Brito, a arma disparou acidentalmente enquanto ele a mostrava para a vítima.
 
O suspeito já prestou depoimento no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e o caso é investigado pela Polícia Civil.
 
A instituição informou, em nota, que Brito entregou uma arma de fogo, munições e o registro de propriedade do armamento e o material foi encaminhado para perícia. Os laudos das perícias sobre o corpo da jovem, porém, ainda não foram enviados à PC, que aguarda essas informações.
 
A versão apresentada pelo advogado Leandro Vasques, que representa o empresário David Brito, reforça que houve tiro acidental.
Segundo ele, Brito e Alana de Oliveira se conheceram naquela data e não houve desentendimento entre os dois. A jovem teria pedido para ver a arma antes do disparo.
 
Já a amiga de infância da vítima, Sara Albuquerque, não acredita que a morte foi um acidente. De acordo com ela, todos que estavam na festa foram embora e restaram somente Alana, o empresário e um caseiro. Ela acredita que sua amiga foi assassinada.
 
“Ela ficou com ele naquele dia. Não sabemos se eles tinham um relacionamento antes da live. Só sei que eles ficaram na festa.
Ele disse que foi um tiro acidental, mas a gente não acredita nisso. O tiro pegou bem no meio da testa dela. Entre as sobrancelhas”, declarou Sara Albuquerque ao UOL.
 
Nas redes sociais, familiares e amigos criaram uma página para pedir justiça pela morte de Alana de Oliveira. O perfil já conta com mais de 20 mil seguidores. O sepultamento da vítima aconteceu na manhã dessa terça-feira (23) no município de Ocara (CE), próximo da capital Fortaleza.