sexta-feira, 2 de abril de 2021

Manchas brancas? deformidades? Como saber se estou com micose de unha?


 
Foto: Reprodução

Micose nas unhas é um problema bastante comum. Sua incidência é maior em adultos com mais de 40 anos, pessoas com diabetes, HIV, má circulação do sangue periférico, obesidade ou qualquer imunossupressão.
Normalmente começa com manchinhas amarelas ou esbranquiçadas nas unhas. Às vezes deixam as unhas descoloridas, quebradiças, rígidas, mas geralmente não causam dor.

Boa parte das pessoas, por não sentirem dor ou não se incomodarem com a aparência das unhas, acabam não procurando tratamento para a micose de unha.

A falta de tratamento é prejudicial pois, além de poder contagiar outras pessoas, a doença pode se agravar, especialmente se você tem uma condição de imunidade baixa ou doenças como diabetes. Porém, quando tratada no início, a micose regride mais rapidamente e você terá suas unhas saudáveis novamente em pouco tempo.
Além disso, há outras alterações e doenças das unhas que podem ser confundidas com micoses, o que é mais um motivo para a busca do diagnóstico precoce. Por isso, vamos entender como você pode identificar a micose de unha e o que você precisa fazer a respeito.
O que é micose de unha?
A infecção fúngica da unha – e tecidos ao redor – é conhecida como “Onicomicose”. Ela pode ser provocada por grupos de fungos chamados de leveduras, por fungos não dermatófitos e, principalmente, por fungos dermatófitos.

Isso porque os fungos dermatófitos são aqueles que utilizam a queratina (proteína presente na pele, pelos e unhas) para a realização de suas funções vitais.
Portanto, são os principais agentes de onicomicoses, sobretudo nas unhas dos pés.
Quais os sinais da Onicomicose (micose de unha)?
Os sinais mais comuns da onicomicose (micose na unha) são:
Variação da cor da unha, que se torna esbranquiçada e/ou adquire tons amarelados ou escuros;
Descolamento da borda livre que começa pelos cantos da unha e deixa um espaço oco sob a unha, onde se acumulam fungos, bactérias e restos de queratina;
Espessamento – as unhas ficam mais duras, mais grossas e opacas;
Manchas brancas na superfície da unha;
Destruição da unha e deformidades porque se tornam mais frágeis e quebradiças.
Contudo, essas alterações nas unhas também podem ocorrer motivadas por outros agentes infecciosos, como bactérias e vírus, decorrentes de doenças sistêmicas, congênitas, endócrinas, por deficiências nutricionais, traumas, uso de fármacos, entre outros, como veremos a seguir.

Portanto, cuidado para não confundir onicomicose (micose de unha) com outras doenças.

Com informações do site: PodoSafe