quinta-feira, 15 de abril de 2021

Modelo presa em Dubai diz que foi forçada por magnata a posar sem roupa em varanda; veja detalhes


 
Foto: Reprodução
Um modelo que foi presa após posar sem roupa com outras 20 mulheres em varanda de apartamento no bairro de Marina, em Dubai (Emirados Árabes Unidos) afirmou ter sido forçada pelo magnata Vitaliy Grechin, ucraniano com passaporte americano, a fazer a sessão de fotos que a levou à prisão.

A ucraniana Irina Sotulenko, 23, foi a primeira participante do ensaio a comentar sobre o episódio, em vídeo feito antes de ser presa. A jovem firmou que, caso não fosse sem roupa para a varanda, ela e as demais modelos não seriam pagas pelo trabalho, de acordo com reportagem do "Sun".

"Eu falei para eles: Gente, estamos num país árabe, não vamos nos exibir", contou ela. "Mas fomos forçadas a ir para a varanda, tiramos fotos e Deus sabe o que virá a seguir. Eles trouxeram um fotógrafo profissional. Bem, Grechin também tirou fotos sozinho, mas havia um fotógrafo também. Alguém tirou fotos de outro prédio. Agora Vitaly foi intimado (à polícia) e parece que ele será mandado para a prisão", acrescentou Irina no vídeo.


O advogado e namorado de Irina expressaram "profunda preocupação" com ela e as outras mulheres que deveriam ser deportadas de volta para a Ucrânia, mas ainda permanecem fora de contato. Veículos da mídia chegaram a noticiar que uma das modelos havia apresentado resultado positivo para coronavírus, o que retardaria o processo de deportação.

Em mensagens de áudio e vídeo enviadas ao namorado antes de ser detida, a modelo falou sobre sua raiva contra Grechin, de 41 anos, o magnata que teria organizado o ensaio e que também está detido.

"Ele é um cara adulto. Como pôde ser tão idiota?", disse Irina, que é formada em Filologia.

O namorado de Irina, identificado como Vitaly, de 30 anos, que trabalha com TI, disse que a ucraniana sabia que estava indo para Dubai para uma sessão de fotos com nudez, mas não que seria em um local público, levando a acusações de "indecência" e "ofensa à moral pública".

"Eles (da organização do ensaio) as empurraram para a varanda", declarou ele, que incentivou a namorada a ir a Dubai por "representar uma grande chance para ela". "As meninas começaram a ficar indignadas e a perguntar porque iam para lá. Disseram: 'Este é um país muçulmano, por isso todos teremos problemas'. Mas elas foram informadas: 'Não se esqueça de quem paga por isso, por favor, vão para a varanda.' Então elas foram para a varanda e foram fotografadas", acrescentou.

De acordo com Vitaly, muitas das modelos presentes no ensaio ficaram tão preocupadas que compraram passagens aéreas logo após o término da sessão.

Irina criticou Grechin por permitir que as imagens com nudez fossem postadas no Instagram, levando a polícia de Dubai a prender o grupo.

A modelo contou que fugiu para o aeroporto a fim de voltar para casa, mas não conseguiu embarcar. O episódio já havia viralizado. Irina acabou presa e, depois de um telefonema para seus pais, ela ficou incomunicável.

Muitas das modelos presas em Dubai estiveram na festa de aniversário de Grechin, em fevereiro, em um resort de inverno na Ucrânia. Lá, elas também teriam sido fotografadas pelo playboy.

Com informações do site: Extra - Globo