sexta-feira, 28 de maio de 2021

Descubra as 07 piores dores que um ser humano pode sentir


 
Foto: Reprodução
 Toda vez que você bate o dedo no canto da porta parece que está sofrendo da pior dor do mundo, não é mesmo? Mas na verdade esta está longe de ser a pior dor que se pode sentir. Além do parto e de algumas dores lombar crônicas, algumas doenças são famosas por provocarem as piores dores que um ser humano pode sentir, gerando até mesmo quadros depressivos quando crônicas. Quer descobrir quais são essas doenças? É só conferir a nossa lista!

Cólica renal
Quando um cálculo renal, a famosa pedra nos rins, tenta passar pelo ureter e alcançar a bexiga, começam a surgir os problemas. Em sua porção mais estreita, o ureter tem cerca de 7mm de diâmetro, mas alguns cálculos superam os 10mm e precisam ser retirados ou reduzidos de tamanho por procedimentos específicos, como a litotripsia extracorpórea. Mesmo os cálculos menores acabam por provocar as contrações da musculatura lisa do ureter e gerar cólicas. A dor é geralmente relatada na região ipsilateral do flanco e acompanhada de náuseas, sudorese, vômitos, taquicardia e hipertensão arterial.

Queimaduras
Quando as queimaduras são de segundo grau, os nervos ficam expostos ao ambiente, gerando dor a qualquer estímulo, como correntes de ar e mudanças de temperatura. Além disso, o processo de cura e renovação da pele envolve ainda vários procedimentos dolorosos como debridamentos e troca de curativos.

Cefaleia em salvas
Considerada ainda pior do que a enxaqueca, essa dor de cabeça é caracterizada por uma dor intensa unilateral periorbitária durante 15 a 180 minutos, acompanhada de vermelhidão e lacrimejamento no olho, congestão nasal e ptose palpebral, várias vezes ao dia por um período de algumas semanas. Em alguns pacientes, a cefaleia é sempre associada a alguma estação do ano ou a um horário do dia, podendo até acordar a pessoa durante a noite. Felizmente, é considerada uma doença rara, afetando menos de 1% da população e, em sua maioria, homens de meia idade.

Infarto
A dor do infarto agudo do miocárdio é descrita classicamente como um aperto na região retroesternal, mas pode se estender pelos membros superiores, principalmente o esquerdo, e pelas costas. Ocorre quando a nutrição do tecido cardíaco é comprometida por placas ateroscleróticas nas artérias coronárias, o que gera a morte do tecido e compromete a circulação sanguínea em todo o corpo.

Neurite herpética
Quando o vírus da varicela (catapora) se reativa nos nervos cranianos, gera o herpes-zóster, uma lesão cutânea dolorosa com vesículas que tende à cura em poucas semanas. Esse quadro ocorre geralmente quando há uma queda da imunidade em idosos ou pacientes imunocomprometidos com HIV ou câncer. No entanto, essa dor pode persistir por meses ou anos acompanhando o caminho do nervo, com uma sensação de queimação, formigamento ou ardor, uma complicação denominada neurite herpética

Cólica biliar
Assim como a cólica renal, a cólica biliar ocorre quando um cálculo, no caso de colesterol, obstrui os ductos que drenam a bile da vesícula ao intestino. As crises de cólica são em dor intensa por até 5 horas na região superior do abdômen, acompanhadas de febre e vômitos. Quando recorrentes, o melhor tratamento é a retirada da vesícula biliar.

Nevralgia do trigêmeo
Provocada por um processo inflamatório do nervo trigêmeo, a nevralgia gera crises de dor em pontada como choques elétricos. Esse nervo inerva toda a região da face, da testa à mandíbula, com a dor afetando essa região. A doença pode se resolver espontaneamente dentro de um ano e o tratamento envolve anticonvulsivantes, como a carbamazepina, e cirurgias.

Com informações do site: Hipalabor