segunda-feira, 31 de maio de 2021

Irmã de Paulo Gustavo faz pedido a Bolsonaro: 'Nunca mais ponha o nome do meu irmão em sua boca'


 
Foto: Reprodução
A irmã do humorista Paulo Gustavo, falecido no início deste mês em decorrência de complicações da Covid-19, enviou uma carta para o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) em que recusa as condolências enviadas pelo político.

No texto escrito por Ju Amaral, a familiar do artista ainda pede que Bolsonaro "Nunca mais ponha na sua boca o nome do meu irmão" após o presidente "debochar" de vítimas da pandemia e negligenciar o combate à doença.

"Essa boca que disse não à vacina e condenou tantos à morte, essa mesma boca que debochou imitando pessoas com falta de ar, pessoas que viveram o horror que meu irmão viveu, não pode ser usada para pronunciar o nome dele nem lamentar a morte de todos os vitimados pela Covid", afirmou.

"Meu irmão e você não tinham nada em comum. Vocês trafegam em vias opostas. Enquanto ele ia na estrada da vida, do afeto, da generosidade e empatia, o senhor vem pelas trevas, trazendo escuridão e morte. O Brasil que o senhor comanda carrega nas costas quase 500 mil filhos mortos, e dentre eles o meu irmão."

No dia da morte do artista, Bolsonaro publicou uma manifestação em sua rede social onde disse: "Meus votos de pesar pelo passamento do ator e diretor Paulo Gustavo, que com seu talento e carisma conquistou o carinho de todo Brasil. Que Deus o receba com alegria e conforte o coração de seus familiares e amigos, bem como de todos aqueles vitimados nessa luta contra a Covid".

Paulo Gustavo morreu aos 42 anos após passar quase dois meses internado em um hospital da zona sul do Rio.

Com informações do site: Jovem Pan