quinta-feira, 13 de maio de 2021

Mulher é presa suspeita de sedar e matar marido dentro de fornalha


 
Foto: Reprodução

Mulher e filho do casal foram presos temporariamente. Vítima teria sido queimada viva, aponta investigação. Polícia afirma que esposa confessou o crime, dizendo que era agredida e ameaçada pelo marido.

Uma mulher de 35 anos foi presa temporariamente, nesta terça-feira (11), por suspeita de matar o marido em Dom Feliciano, na Região Sul do Rio Grande do Sul. Segundo a Polícia Civil, ela teria sedado Erni Pereira da Cunha, de 43 anos, e queimado o companheiro, ainda vivo, em uma fornalha de fumo.

A Polícia Civil afirma que a mulher misturou o medicamento Diazepam ao suco de laranja do marido. Desacordado, ele foi colocado dentro de uma fornalha que fica na estufa de fumo da família. O corpo ficou queimando no local durante três dias.

O filho do casal, de 21 anos, também foi preso temporariamente. A investigação aponta que o jovem teria se envolvido em discussões com o pai. Além das prisões, dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

O crime teria ocorrido na localidade de Colônia Nova, no interior de Dom Feliciano, onde o casal morava. Erni foi dado como desaparecido no dia 15 de fevereiro. No mesmo dia, a companheira foi até a delegacia para registrar ocorrência, contou a delegada Vivian Duarte.

"Os depoimentos dos familiares eram bem incongruentes, já que todos afirmavam que a vítima saiu de casa a pé, e que depois teria mandado mensagens dizendo que tinha saído de casa para ser feliz", relatou.

De acordo com a delegada, a suspeita realizou pesquisas na internet sobre "como matar uma pessoa utilizando veneno". Veja vídeo acima.

"Durante das diligências desta manhã [terça], a companheira da vítima confessou o crime", disse.
Segundo a polícia, a mulher relatou que cometeu o crime por ter sofrido agressões e ameaças do homem, durante mais de duas décadas de relacionamento. Conforme a investigação, a suspeita não registrou ocorrência das agressões contra o marido.

Ela foi encaminhada para a Penitenciária Estadual Feminina de Guaíba, na Região Metropolitana de Porto Alegre. O filho foi levado para o Presídio Estadual de Camaquã.

Com informações do site: G1