quinta-feira, 27 de maio de 2021

Padrasto suspeito de agredir enteado autista se entrega à polícia: VEJA DETALHES


 
Foto: Reprodução

Está preso o principal suspeito de ter agredido um adolescente autista, de 13 anos, em São José do Calçado, no Sul do Espírito Santo. Ele se apresentou à polícia na Delegacia de Bom Jesus do Norte, nesta quarta-feira (26). A vítima foi internada nesta segunda-feira (24) após ser encontrada pelo Conselho Tutelar com ferimentos por todo o corpo. O garoto é enteado do suspeito.

Segundo informações da Polícia Civil, as investigações que começaram na segunda (24) demonstraram que o padrasto, de 42 anos, era o autor das agressões e foi pedido o mandado de prisão preventiva contra ele. Com estas informações, o delegado Sandro de Oliveira Zanon, em negociação com a defesa do investigado, conseguiu que ele se apresentasse na Delegacia de Bom Jesus do Norte, onde foi cumprido o mandado de prisão. 

O acusado é investigado pela prática do crime de tortura e foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Cachoeiro, onde ficará à disposição da Justiça. De acordo com a Polícia Civil, a pena privativa de liberdade prevista para o crime varia de dois anos e quatro meses a 10 anos e oito meses de reclusão, tratando-se de crime equiparado a hediondo.

O CASO 

Um menino de 13 anos foi internado nesta segunda-feira (24) após ser encontrado pelo Conselho Tutelar com ferimentos por todo o corpo em São José do Calçado. O adolescente, segundo a polícia, é autista e hiperativo. Acompanhado da mãe, de uma conselheira tutelar e da Polícia Militar, o menino de 13 anos foi hospitalizado no município de São José do Calçado. 

A médica que examinou a vítima encontrou lesões na cabeça, no pescoço, nas costas e nos braços do menino, além de ferimentos no órgão genital.

A equipe médica também identificou um quadro de anemia no garoto. A mãe do menino confessou à polícia que sabia das agressões, mas era coagida pelo companheiro a não denunciar o crime. “Investigaremos se ela foi realmente coagida ou se ela se omitiu quanto à proteção do filho”, disse o delegado.


Com informações do site: A Gazeta