quarta-feira, 26 de maio de 2021

Pai embebeda a própria filha e comete abuso


 
Foto: Reprodução

Um homem de 37 anos está sendo procurado pela polícia acusado de embebedar a própria filha, de 17 anos, para abusar dela. O caso aconteceu na zona rural de Mirassol D’Oeste (300 km de Cuiabá).

A Polícia Militar foi acionada no Hotel onde o suspeito levou a filha, localizado na Rodovia MT-175. No local, os policiais foram recebidos por uma funcionária, que salvou a menina ao ouvir gritos de socorro dela batendo na janela.

A funcionária contou aos policiais que, ao ouvir os gritos, abriu a porta da recepção e prestou todo apoio necessário à adolescente, que estava aos prantos e em estado de choque.

A adolescente chegou a se esconder embaixo da cama e só saiu quando a Polícia Militar chegou ao local.

História e abuso

A menina contou aos policiais que, com autorização da mãe, que mora em Porto Espiridião (330 km de Cuiabá), foi para Indiavaí (375 km da Capital) com seu irmão gêmeo, uma tia e o pai.

Depois, foram para Araputanga (340 km de Cuiabá) na casa dos avós e o pai a convidou para ir a Mirassol D’Oeste.

No trajeto, o pai comprou bebidas alcoólicas e teria obrigado a filha a consumir. Ao chegar na cidade, ele disse à menina que entraria no Hotel apenas para comprar algumas cervejas.

Porém, ao entrar em uma das garagens do estabelecimento, a menina tentou abrir a porta e foi surpreendida com um golpe “gravata” em seu pescoço.

O pai, então, a mandou não tentar correr. Zonza, devido às duas Ice que foi obrigada a beber, a menina disse que caiu ao chão e foi levada no colo pelo pai para o quarto.

Ele a jogou na cama, tapou a boca dela e a mandou não gritar. Em seguida, disse que ela só sairia do Hotel se mantivesse relação com ele.

Na sequência, ele tocou os seios da filha com uma mão e o órgão genital com a outra, chegando a abaixar as roupas de baixo da adolescente.

Com muita luta, a menina conseguiu se vestir novamente, simulou um desmaio e, aproveitando a distração do pai, abriu a porta e gritou por socorro até ser ajudada pela recepcionista do Hotel .

Fuga

O pai disse que era membro da facção criminosa Comando Vermelho e que se a filha contasse o que aconteceu faria mal a ela e aos seus entes queridos.

Ele usa tornozeleira eletrônica e mora em Cuiabá, no Bairro Jardim Vitória.

Após a menina ser socorrida pela funcionária do Hotel , ele fugiu deixando um dos pés de seu chinelo para trás e levando os documentos e o celular da filha.

Os policiais fizeram buscas pelo suspeito, mas não o encontraram. O caso foi registrado como estupro consumado.

Com informações do site:  olivre - Karina Cabral