domingo, 2 de maio de 2021

Recém-divorciada festeja liberdade com adesivo e vídeo de felicidade


 
Foto: Reprodução
O que muitas preferem esconder por trazer um sentimento de tristeza e derrota, para uma mulher de Dourados –município distante 230 quilômetros da Capital – virou, no finalzinho da tarde de ontem (29), a comemoração do seu divórcio no mais alto estilo.

Percorrendo as ruas da cidade onde vive, ela adesivou as costas do carro com o escrito "divorciada!" em letras garrafais bem ao lado de coraçõezinhos e do emoji de "mãos juntas", isto é, em agradecimento e oração à "boa notícia". Ainda, é possível ver da janela do carro balões brancos celebrando o que para ela só poderia ser uma "excelente conquista".

É claro que a cena causou curiosidade e todo mundo quer saber quem é essa divorciada "sortuda". O Lado B foi atrás dela, mas infelizmente não quis se manifestar sobre a situação – afinal, sua atitude já revelou o suficiente.

Advogada de família e sucessões, Marli de Oliveira Nascimento foi a profissional em Dourados que cuidou do divórcio de ambas as partes – da mulher que se expôs e do seu ex-marido. Segundo ela, "foi um divórcio tranquilo e consensual, portanto, amigável", afirma. Porém, em 10 anos de atuação, nunca viu cena parecida.

"Na hora, eu estava fora do escritório. A estagiária me ligou e pediu para eu vir correndo. Quando cheguei, estava minha cliente com o carro todo enfeitado. Foi a maior surpresa! E o clima era de festa. Ela estava alegre e efusiva, e até me confessou se sentia em um 'processo de libertação'. 'É um novo ciclo, uma nova história', me disse", detalhou a advogada. 

Marli ressaltou que a cena não ficou só nas ruas, mas pipocou nas redes sociais. "Em vários grupos de mulheres que participo, todas as participantes estão se sentindo encorajadas e empoderadas com a atitude da minha cliente. As mulheres daqui se sentiram representadas. Até as advogadas que conheço também me escrevem para mim. Foi lindo!", confirma.

Como mulher e advogada, Marli sabe muito bem que o divórcio para mulher geralmente é associado ao motivo de vergonha. "Na hora de uma separação, ainda tem aquele  'ranço' do machismo estrutural. Elas entram num estado de luto, se sentem deixadas para trás, de perda. Mas não existe culpado. O 'para sempre' no casamento é muito lindo, mas não é nada obrigatório e não tem o porquê de guardar sentimentos ruins", opina.

Divórcio em números – Só em Campo Grande, o número de divórcios consensuais realizados pelos cartórios de notas sul-mato-grossenses atingiu uma marca histórica do último ano pra cá. 

Desde 2007, divórcios extrajudiciais não chegavam em quase mil (especificamente, 978) feitos diretamente nos cartórios de notas. Isto representa um número 25% maior do que os 783 términos de relacionamentos concretizados no ano de 2019, por exemplo.



Com informações do site: Campo Grande News