segunda-feira, 24 de maio de 2021

Sargento e esposa vendiam filhas de 8 e 11 anos para escravidão


 
Foto: Reprodução
A ‘Operação Medusa’, deflagrada pela Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Proteção à Criança ao Adolescente (DEPCA), cumpriu dois mandados de prisão preventiva por exploração sexual comercial, estupro de vulnerável. As vítimas são duas crianças que sofriam os abusos desde os 03 anos de idade.

Segundo a titular da DEPCA, delegada Joyce Coelho, as vítimas relataram à polícia que a própria mãe recebia dinheiro, comidas e roupas dos homens em troca dos abusos.

“A criança mais velha nos relatou que desde pequena era abusada pelo pai e que também a genitora, que é usuária de drogas, a vendia para um comerciante próximo da casa dela”, disse a titular da DEPCA.

A criança deu detalhes de como a exploração acontecia. “Ela relata com todas letras que na primeira vez que se vendeu, ela estava com fome, ele pagou R$20,00, com R$ 10,00 ela comprou arroz e feijão e levou pra casa e com R$ 10,00 ela comprou uma sandália que ela estava sem chinelo. Isso foi intermediado pela mãe. Na segunda vez a mãe pediu que ela aceitasse esse ato porque ela estaria devendo pra alguém”, informou a delegada.

O caso tem relação com o desaparecimento de duas crianças no dia 22 de dezembro de 2020, quando as meninas supostamente teriam desaparecido com o padrasto. Elas não tinham nenhum indício de abuso pelo homem e foram encaminhadas para uma instituição ate que fosse esclarecida a situação.

Durante a investigações, uma das crianças informou a um policial que ajudou nas buscas, que nunca se perdeu e foi levada ao local para ser vendida novamente. “Então a gente fecha o quebra-cabeça. A criança conta que ela não se perdeu por acaso com o padrasto, que na verdade ele estava fazendo um meio de protegê-las, porque naquela dia ela tinha sido levada para o local para ser vendida novamente, finalizou a delegada.

O pai das crianças, um sargento da reserva da Polícia Militar do Amazonas (PM-AM) foi preso no Conjunto Galiléia, bairro Cidade Nova, zona norte da capital. Um comerciante de 50 anos também foi preso por envolvimento no crime. Um mandado de prisão contra a mãe também foi expedido, mas ela não foi encontrada e é considerada foragida.

Fonte: D24am