terça-feira, 29 de junho de 2021

Advogada é flagrada entregando chips e carregadores de celular em presídio


 
Foto: Reprodução

Uma advogada foi flagrada por policiais penais tentando entregar 10 chips de celulares e dois carregadores em visita a um reeducando, na manhã desta sexta-feira, 25, no Presídio Cyridião Durval e Silva, em Maceió. 

Segundo a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris), a advogada deve ser conduzida para a Central de Flagrantes. Por meio da assessoria de comunicação, a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB-AL) aguarda ser notificada para apurar a denúncia.

Advogados agora terão que passar por bodyscan

Esse é o segundo caso de um advogado tentando repassar ilícitos a um reeducando em apenas uma semana, em Maceió. Na sexta-feira passada, dia 18, um outro advogado tentou entregar cigarros a um dos reeducandos da Casa de Custódia da Capital. Após a identificação, a Seris afirmou que reforçou os procedimentos de segurança a fim de coibir práticas dessa natureza.

Por meio de nota, a Seris inormou que a partir de agora, para entrar nos presídios, os advogados também terão que passar pelo bodyscan (scanner corporal), equipamento já utilizado durante as visitas realizadas pelos familiares de reeducandos.
Leia nota na íntegra:

A Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) informa que a Polícia Penal realizou, nesta sexta-feira (25), mais uma apreensão de material ilícito que seria entregue, por uma advogada, a reeducando do Presídio Masculino Cyridião Durval e Silva, em Maceió.  

O flagrante se deu após os policiais penais suspeitarem do conteúdo da embalagem, um sabão em barra. Mediante revista, a equipe se deparou com 10 chips de telefone celular e dois carregadores que estavam camuflados no item de higiene pessoal.

A advogada foi conduzida à Central de Flagrantes, onde prestou esclarecimentos à autoridade de Polícia Civil. A ocorrência também foi comunicada a 16ª Vara Criminal, Promotoria de Execuções Penais e Ordem dos Advogados do Brasil, para que se adotem as providências cabíveis ao caso.

Outrossim, a Seris esclarece que, por meio da Polícia Penal, já reforçou os procedimentos de segurança para coibir práticas dessa natureza, determinando que, a partir de agora, todas as pessoas alheias ao sistema prisional alagoano terão de passar pelo bodyscan (scanner corporal), equipamento já utilizado durante as visitas realizadas pelos familiares de reeducandos.


Veja a nota abaixo. 

"A Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) informa que abriu Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar as circunstâncias do episódio envolvendo advogado e reeducando que se encontra na Casa de Custódia da Capital, já tendo comunicado a ocorrência a 16ª Vara Criminal, Promotoria de Execuções Penais, Polícia Civil e Ordem dos Advogados do Brasil, para que se adotem as providências cabíveis ao caso flagrado pelos policiais penais que se encontravam de serviço naquela unidade prisional.

Outrossim, a Seris esclarece que já reforçou, por meio da Polícia Penal, os procedimentos de segurança relativos à prestação de assistência jurídica aos reeducandos – sobretudo quando do retorno do custodiado do parlatório à cela –, a fim de coibir práticas dessa natureza".

Com informações do site:  tnh1