sexta-feira, 11 de junho de 2021

Detalhe sobre acidente que matou MC Kevin intriga a polícia


 
Foto: Reprodução

Após quase um mês da trágica morte do cantor MC Kevin, que morreu aos 23 anos após cair do 5º andar de um hotel, na orla na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, no dia 16 de maio, muitas teorias ainda são levantadas por milhares de seguidores e admiradores do artista, que envolvem contradições nas versões dos envolvidos.

No entanto, conforme Angelo Canuto, mentor e amigo do artista, que deu entrevista à Revista Quem no começo deste mês, a investigação policial está na última fase e a quebra do sigilo telefônico dos envolvidos no dia do acidente foi autorizada. “A investigação policial está na última fase, em que foi autorizada a quebra do sigilo telefônico. Paralelamente a isso, a família está tomando as providências jurídicas, resolvendo o inventário, fazendo a estruturação jurídica. Estamos acompanhando tudo com o advogado”, contou ele.

Entretanto, a quebra do sigilo pode revelar novos detalhes intrigantes para a polícia, além das versões dos depoentes. No total, doze depoimentos foram prestados na 16º DP do Rio de Janeiro. Todos eles apontaram para um acidente, o que foi confirmado pelo laudo pericial.

Segundo uma matéria do Fantástico, exibida no dia 23 de maio, a perícia não encontrou nenhum indício de briga ou de ações violentas no quarto em que estavam Kevin, Mc VK, a acompanhante Bianca Domingues e Jhonatas Augusto. Apenas foram encontradas marcas da mão e do corpo do cantor, como na clarabóia e no cercado da piscina, que revelaram como se deu a sua queda.

Os depoimentos dos presentes na hora do crime, que apontam para “um acidente” foram reforçados com o resultado do laudo, além da confirmação de que MC Kevin teria consumido álcool e drogas, o que foi comprovado pelo exame toxicológico feito no corpo do cantor, que apontou a presença das substâncias cafeína e MDMA no sangue.

Com isso, as investigações têm mais reforços que indicam morte acidental. Porém, além do fato da quebra do sigilo telefônico dos envolvidos, que servirão para apurar as circunstâncias da queda de MC Kevin, a 16ª DP também continua investigando o desaparecimento da aliança do cantor, avaliada em R$ 25 mil, após a morte dele. Esses dois fatores podem ser cruciais para a finalização da investigação.

Com informações do site: BR104.