domingo, 27 de junho de 2021

Ex-militar baleado pela PM no Chapadão é inocentado


 
(Arquivo Pessoal)
Rio - A Justiça do Rio extinguiu a punição ao ex-militar das Forças Armadas João Marcos da Silva Lima, sobrevivente de um tiroteio no conjunto de favelas do Complexo do Chapadão, na Zona Norte do Rio, que terminou com a morte de dois jovens, em março deste ano. 

A decisão da juíza Alessandra de Araújo Bilac Moreira Pinto, da 42ª Vara Criminal da Capital, que reconheceu a inocência de João, foi assinada no último dia 16. Ele respondia pelo processo por tráfico de associação para o tráfico de drogas em liberdade, após ficar preso sob custódia.

João e os amigos Guilherme Machado Oliveira, de 20 anos, e Gabryel Marques de Oliveira, de 21, estavam na comunidade Gogó da Ema, no Chapadão. Os três deram continuidade a uma amizade que começou dentro do quartel do Exército. Eles estavam em um bar, quando uma equipe do 41º BPM (Irajá) passou pela Rua Fernando Lobo, um dos acessos à favela de Guadalupe, dando início a troca de tiros.
 

Dois policiais militares , que participaram da operação, são investigados em Inquérito Militar. 
Na época, a ocorrência foi registrada na 31ª DP (Ricardo de Albuquerque), onde os PMs disseram que os três jovens tinham envolvimento com o tráfico de drogas da região, que é controlado pela facção Comando Vermelho (CV). As famílias negaram que eram ligados com qualquer organização criminosa e garantiram que eles estavam apenas confraternizando e bebendo cerveja no bar. 

Com informações do site: O DIA