sexta-feira, 25 de junho de 2021

Secretário de segurança afirma existir uma rede de apoio a Lázaro


 
Foto: Reprodução
Após a prisão de duas pessoas, na noite desta quinta-feira (24), suspeitas de ajudar Lázaro Barbosa, 32 anos, a fugir e se esconder da força-tarefa por 16 dias, o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, afirmou que há uma “rede criminosa” ajudando o assassino na fuga.

“Quem facilita vida de foragido comete crime. Desconfiamos que tem outras pessoas ajudando e vamos chegar nelas. Vamos chegar a essa rede criminosa que apoia o Lázaro”, disse o secretário.

De acordo com Rodney Miranda, um deles estaria com uma das armas que Lázaro roubou, com 50 munições, na região de Cocalzinho (GO). As duas pessoas estão sendo autuadas em Girassol (GO).

“Trata-se de uma rede de psicopatas ajudando ele”, afirmou o secretário. Para Miranda, essa ajuda pode justificar o fato de o criminoso não ter sido preso até o momento. “Sabíamos que não era normal ele conseguir fugir por tanto tempo sem ajuda, sem uma rede de pessoal ajudando ele”, completou.

As suspeitas são de que as pessoas presas teriam, também, participado da chacina da família Vidal, no Incra 9, em Ceilândia, no dia 9 de junho.

A região de Girassol conta com grande contingente de policiais, viaturas, helicópteros e cães farejadores. Uma barreira na estrada de acesso ao Setor de Chácaras foi feita. Os moradores foram impedidos de entrar. A região foi cercada após denúncias da presença do assassino, confirmada pelo secretário.

Na tarde desta quinta, uma moradora disse ter visto Lázaro, que correu para uma região de mata. Por volta das 15h, as viaturas, dois helicópteros e o próprio secretário seguiram para o local. Bombeiros do DF também reforçam o cerco, com o apoio de drones que têm visão noturna e térmica. Além das autoridades, o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) está presente no local.

Com informações do site: Jornal de Brasilia