sábado, 26 de junho de 2021

‘Temos um psicopata a frente da presidência do Brasil’, diz João Doria.


 
Foto: Reprodução

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), foi o convidado da live de ISTOÉ, na sexta-feira, 25. Empresário, jornalista e publicitário, Doria ingressou na vida pública como secretário de Turismo da capital paulista, há pouco mais de três décadas. Na entrevista ao diretor de redação da revista, Germano Oliveira, ele falou sobre o enfrentamento ao coronavírus, fez uma análise econômica do país, além de avaliar o tabuleiro político de 2022. No bate-papo, ele confirmou que irá disputar a cadeira ocupada por Jair Bolsonaro na Esplanada dos Ministérios. Porém, antes de disputar o cargo, Doria terá que vencer as prévias do seu partido. “Sou candidato, sim, à presidência da República. A partir de 9 de julho, vou começar a visitar os estados aos finais de semana para conversar com aqueles que votarão nas prévias”, afirmou.

Tucano de carteirinha assinada em 2001, João Doria tornou-se conhecido por ser entrevistador em talk-shows, palestrante e organizador de eventos empresariais. Ele é criador e presidente licenciado do Grupo Doria. Nas eleições municipais de 2016, João Doria foi eleito prefeito da cidade de São Paulo logo no primeiro turno do pleito. Cerca de quinze meses após a sua posse, apesar de ter assumido um compromisso público de cumprir o seu mandato até o final, renunciou ao cargo para se lançar candidato ao governo do Estado. Venceu! Agora, diante de um novo voo político, Doria aposta que existe espaço para uma outra via política no Brasil rumo ao Palácio do Planalto, que não seja os extremos da esquerda e direita. “Nós vamos trabalhar para ter a melhor via. Não será a 3ª via. Vamos compor o campo central de oposição”, avalia.

O governador trabalha com a certeza que o país não tem, tão somente, a opção do “negacionismo de Jair Bolsonaro, que tem demonstrado a ineficiência e incapacidade na gestão, ou o ex-presidente Lula, que não foi isentado pelo STF dos crimes que cometeu”, afirma. “Vou trabalhar por um governo honesto, decente, transformador, que proteja a vida dos mais pobres, que reduza a vulnerabilidade no Brasil e conduza ao desenvolvimento pleno”, disse. Ainda na avaliação do cenário eleitoral do próximo ano, ele disse que não acredita também que o já presidenciável Ciro Gomes (PDT) vá compor com o Centro liberal. “As posições dele são notadamente de esquerda, muitas vezes de extrema esquerda.”

Com 63 anos, Doria é casado com a artista plástica Bia Doria e pai de três filhos. Seu carro chefe na campanha eleitoral em 2022 será, sem dúvidas, as medidas de combate à pandemia no Estado de São Paulo e a vacina contra a Covid do Butantan, além da condução econômica do estado que cresce muito mais que o governo federal. Na conversa, ele confirmou que vai cumprir o acordo de entrega das 100 milhões de doses ao Ministério da Saúde e que toda população de residentes em São Paulo estará vacinada até 15 de setembro. Ainda na live, Doria fez duras críticas ao presidente Bolsonaro. “Haja vacina antirrábica no país. Temos um presidente raivoso, descontrolado e covarde. Não é um pessoa normal. A forma agressiva de se comportar mostra o total desequilíbrio. Temos um psicopata na presidência da República”, concluiu.

Com informações do site: Isto é.