quinta-feira, 15 de julho de 2021

Anvisa alerta sobre risco de inflamação cardíaca por vacinas de RNA mensageiro; OMS diz que benefícios superam riscos


 
Foto: Reprodução

Nesta sexta-feira (9), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alertou para o risco de inflamação cardíaca após a aplicação de imunizantes contra a Covid-19 que usam tecnologia de RNA mensageiro (mRNA), como a vacina da Pfizer.

A informação foi divulgada pela reguladora após o registro de casos da inflamação nos Estados Unidos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os relatos de duas doenças raras — a miocardite e a pericardite, ambas no coração — ocorreram dias após a aplicação das vacinas, principalmente entre homens mais jovens e depois da segunda dose.

Nesta sexta-feira (9), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alertou para o risco de inflamação cardíaca após a aplicação de imunizantes contra a Covid-19 que usam tecnologia de RNA mensageiro (mRNA), como a vacina da Pfizer.

A informação foi divulgada pela reguladora após o registro de casos da inflamação nos Estados Unidos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os relatos de duas doenças raras — a miocardite e a pericardite, ambas no coração — ocorreram dias após a aplicação das vacinas, principalmente entre homens mais jovens e depois da segunda dose.

Nos Estados Unidos

Estes alertas ocorrem após a informação divulgada na quarta-feira (7) pela Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA), espécie de Anvisa americana. O órgão adicionou um alerta sobre casos raros de inflamação cardíaca em adolescentes e adultos jovens às fichas técnicas das vacinas da Pfizer/BioNTech e da Moderna.

Grupos de aconselhamento do Centro de Controle e Prevenção de Doenças do Estados Unidos (CDC), reunidos para discutir relatos de casos sobre problemas no coração após a vacinação, apontaram que casos raros de miocardite em adolescentes e jovens adultos provavelmente estão ligados às aplicações das duas vacinas, que usam a tecnologia de RNA mensageiro.

Com informações do site:  G1