quinta-feira, 8 de julho de 2021

E agora? Estudo relaciona câncer de mama com pintura em cabelo: ‘Risco aumenta 60%’


 
Foto: Reprodução
Uma notícia bomba e que assombra as mulheres voltou a circular na internet. Trata-se do estudo realizado nos Estados Unidos, publicada no International Journal Of Cancer, em 2019, cujas descobertas ganharam nova notoriedade este ano e acabou assustando uma grande parcela das mulheres.

O estudo apontou que o ato de pintar ou alisar os cabelos pode aumentar os riscos do desenvolvimento do câncer de mama. Um detalhe importante é que, caso a mulher seja negra, o índice de riscos aumenta para 60% em relação às quem não pintam ou alisam os cabelos.

Outra descoberta importante, neste grupo com 46 mil mulheres, constatou-se que o risco do desenvolvimento do câncer de mama para as negras foi da ordem de seis vezes maior do que quando comparado as mulheres brancas.

Enquadra-se nesta taxa de 60% de riscos aumentados, as mulheres que fazem uso de pintura ou alisamento capilar 1 ou mais vezes em intervalos de 5 a 8 semanas (pintam ou alisam, com frequência, de 2 em 2 meses).

O câncer de mama é multifatorial
Vale ressaltar que o câncer de mama é o tipo cancerígeno que mais afeta as mulheres, tendo risco de quase 17 incidências a cada 100 mil pessoas deste sexo.

Sobre o que a pesquisa constatou, os pesquisadores disseram que há uma hipótese de que os produtos utilizados nas tinturas e alisamento de cabelo de mulheres negras tenha níveis mais altos de substâncias relacionadas ao surgimento deste tipo de câncer.

Um outro ponto que merece destaque foi que, 1 ano após este estudo, uma outra pesquisa feita com 117.200 mulheres chegou à conclusão de que o ato de pintar ou alisar o cabelo não teria relação com o desenvolvimento de câncer, esta última pesquisa foi realizada pela Medical University of Vienna, localizada na Áustria.

Com informações do site: 1news